16 de agosto de 2018

CONTA-GOTAS

TÁ NO AR
Está liberada desde 16/08/2018, quinta-feira, a campanha eleitoral deste ano, na rua e na internet. Eleições acontecem dias 7 de outubro (1º turno) e 28 de outubro (em caso de 2º turno).
-----------------


Especial Uberaba
29 POLÍTICOS DE UBERABA PEDIRAM REGISTRO PARA AS ELEIÇÕES DE OUTUBRO DE 2018
Até o fechamento desta edição de Conta-Gotas, 11 candidatos ligados a Uberaba estavam no Sistema de Candidaturas /DivulgaCand doTribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais, aguardando a análise de seus pedidos de registro de candidatos a deputado estadual. Outros 18 pediram registro para candidatura de deputado federal.
Destaque para a situação do deputado estadual e candidato à reeleição, Antônio Lerin. Filiado ao PSB ele pediu registro através de duas coligações distintas e adversárias – Unidos Com o Povo (PT/PR/PSB) e #Juntos Por Minas# (PDT/PSB/PRB/PV/MDB/Pode).
Os dois grupos realizaram convenções estaduais e disputam na Justiça o direito de manter as decisões tomadas nestas convenções. No centro da disputa está a candidatura – ou não, do ex-prefeito de Belo Horizonte, Márcio Lacerda (PSB), a governador de Minas Gerais, que foi cancelada pelo PSB nacional, defensor de aliança com o PT e a reeleição do governador Fernando Pimentel.
Informações  – ocupação, nome, nome da urna e foto, são aquelas encaminhadas pelos próprios candidatos ao TRE/MG. Os números são aqueles sorteados pelos partidos e que serão usados pelos candidatos ao longo da campanha.

DE OLHO NA ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DE MINAS GERAIS
*Jornalista Antônio Carlos Silva Nunes (MDB) - Tony Carlos - 15200
*Deputado estadual Antônio dos Reis Gonçalves Lerin (PSB) – Lerin – 40696
*Professora de ensino médio Catarina Leopoldino (PSL) - 17127
*Administrador Daniel Angotti (Novo) - 30034
*Vereadora Denise Max (PR) - 22999
*Jornalista Gleibe Terra Júnior (PRTB) - Gleibin da Gente - 28011
*Técnico de química João Gilberto Ripposati (PTB) - 14800
*Policial civil - Heli Andrade (PSL) – Delegado Heli Grilo - 17190
*Veterinária Kênia Borges (PCdoB) - 65555
*Empresário Paulo Pires (Patri) – 51151
*Auxiliar de escritório Patrícia Melo (PT)  -  13180



DE OLHO NA CÂMARA DOS DEPUTADOS
*Deputado federal Adelmo Carneiro (PT) - 1350
*Deputado federal Aelton Freitas (PR) - 2222
*Advogada Angela Mairink (PRB) - 1015
*Deputado federal Caio Narcio (PSDB) - 4520
*Militar reformado Carlos Barbosa Siqueira (Patri) - Subtenente Barbosa - 5190
*Servidora pública municipal Eclair Gomes (DEM) – Dra. Eclair do Procon - 2515
*Policial militar Emanuel da Paixão Kappel (PRTB) - Coronel Kappel - 2890
*Empresário Franco Cartafina (PHS) - 3132
*Servidor público municipal Gabriel Mendes (Novo) - 3034
*Empresário Gledston Moreli (PPL) – Gledston Moreli Dê Só Faróis – 5440
*Empresário João dos Reis de Souza (PRTB) – João da Casa de Chocolate - 2810
*Engenheiro José Silva - Zé Silva (SD) - 7777
*Vigilante Josimar Rocha (PDT) - 1251
*Servidora pública municipal Luciene Fachinelli (PSB) – Lu Fachinelli – 4069
*Produtor agropecuário Romeu Borges (PSL) - 1727
*Engenheiro Ronaldo Rocha (PRTB) - 2833
*Administradora Sanivia Avelar (PSL) - 1749
*Professor de ensino superior Wagner Júnior (Pros) - 9099
-------------------
Que sufoco!
TRE/MG REVELA QUE NÚMERO DE PEDIDOS DE REGISTRO É RECORDISTA
Dia 17 de setembro é o último dia para que todos os pedidos de registro de candidatos, inclusive os impugnados e os respectivos recursos, estejam  julgados e as decisões publicadas. Também é o último dia para os partidos pedirem substituição de candidatos
Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais recebeu 2.217 pedidos de registro de candidatura, incluindo os pretendentes a vice-governador e suplentes de senador – dois para cada titular. O número recebido é o maior da história em eleições gerais. Em 2014, foram 1.943, e em 2010, 1.790 candidaturas.
Foram apresentados 1.305 pedidos para o cargo de deputado estadual e 849 para deputado federal. Também foram apresentados nove pedidos de registro de candidaturas para governador. Cinco deles foram de partidos que concorrerão isoladamente e quatro de coligações.
Para o cargo de senador, foram apresentados 15 pedidos de registro de candidatura, cada um com os seus dois respectivos suplentes. Neste ano, serão disputadas duas vagas para o Senado.
Os editais dos pedidos de registro serão publicados no Diário da Justiça Eletrônico dia 17 de agosto e, a partir daí, serão contados os cinco dias de prazo para apresentação de impugnações pelo Ministério Público, partidos/coligações ou candidatos.

ELES QUEREM GOVERNAR MINAS


Alexandre Flach Domingues
Nome na urna: Alexandre Flach
Partido: PCO (29)
Ocupação: Advogado
Coligação: -------------
Grau de instrução: Superior completo
Nascimento: 02/08/1970
Vice: Sebastião Pessoa
Partido: PCO
Ocupação: Programador de computador
Grau de instrução: Ensino médio completo
Nascimento: 20/01/1966
Limite de gastos
1º turno: R$ 14 milhões
2º turno: R$ 7 milhões

Antonio Augusto Junho Anastasia
Nome na urna: Professor Anastasia
Partido: PSDB (45)
Ocupação: Senador
Coligação: Reconstruir Minas
PSDB / PSD / SOLIDARIEDADE / PTB / PPS / PMN / PSC / DEM / PP / PTC / PATRI / PMB
Grau de instrução: Superior completo
Nascimento: 09/05/1961
Vice: Marcos Montes
Partido: PSD
Ocupação: Deputado federal
Grau de instrução: Superior completo
Nascimento: 03/08/1949
Limite de gastos
1º turno: R$ 14 milhões
2º turno: R$ 7 milhões

Claudiney Alves
Nome na urna: Claudinei Dulim
Partido: Avante (70)
Ocupação: Advogado
Coligação ---------
Grau de instrução: Superior completo   
Nascimento: 09/01/1968
Vice: Leandro Gusmão
Partido: Avante
Ocupação: Advogado
Grau de instrução: Superior completo
Nascimento: 10/11/1980
Limite de gastos
1º turno: R$ 14 milhões
2º turno: R$ 7 milhões

Fernando da Mata Pimentel
Nome na urna: Fernando Pimentel
Partido: PT (13)
Ocupação: Governador
Coligação: Do Lado do Povo
Grau de instrução: Superior completo
Nascimento: 31/03/1951
Vice: Jô Moraes
Partido: PC do B
Ocupação: Deputada
Grau de instrução: Superior completo
Nascimento: 09/08/1946
Limite de gastos
1º turno: R$ 14 milhões
2º turno: R$ 7 milhões

João Batista dos Mares Guia
Nome na urna: João Batista Mares Guia
Partido: Rede (18)
Ocupação: Sociólogo
Coligação: --------
Grau de instrução: Superior completo
Nascimento: 25/06/1948
Vice: Abraão Gracco
Partido: Rede
Ocupação: Advogado
Grau de instrução: Superior completo
Nascimento: 10/08/1974
Limite de gastos
1º turno: R$ 14 milhões
2º turno: R$ 7 milhões

Jordano Carvalho dos Santos
Nome na urna: Jordano Metalúrgico
Partido: PSTU (16)
Ocupação: Trabalhador metalúrgico e siderúrgico
Coligação: -----------------
Grau de instrução: Ensino médio completo
Nascimento: 15/08/1979
Vice: Victória de Fátima de Mello
Partido: PSTU
Ocupação: Professora de ensino fundamental
Grau de instrução: Superior completo
Nascimento: 27/07/1956
Limite de gastos
1º turno: R$ 14 milhões
2º turno: R$ 7 milhões

Márcio Araújo de Lacerda
Nome na urna: Marcio Lacerda
Partido: PSB (40)
Ocupação: Administrador
Coligação: Minas Tem Jeito
 PSB / PDT / PODE / MDB / PROS / PRB / PV
Grau de instrução: Superior completo
Nascimento: 22/01/1946
Vice: Adalclever Lopes
Partido: MDB
Ocupação: Deputado
Grau de instrução: Superior incompleto
Nascimento: 24/11/1966
Limite de gastos
1º turno: R$ 14 milhões
2º turno: R$ 7 milhões

Maria Dirlene Trindade Marques 
Nome na urna: Dirlene Marques
Partido: Psol (50)
Ocupação: Servidora pública civil aposentada
Coligação: Frente Minas Socialista
Psol/PCB
Grau de instrução: Superior completo
Nascimento: 11/11/1946
Vice: Sara Azevedo
Partido: Psol
Ocupação: Professora de ensino médio
Nascimento: 25/08/1985
Limite de gastos
1º turno: R$ 14 milhões
2º turno: R$ 7 milhões

Romeu Zema Neto
Nome na urna: Romeu Zema
Partido: Novo (30)
Ocupação: Empresário
Coligação: ------
Grau de instrução: Superior completo
Nascimento: 28/10/1964
Vice: Paulo Brant
Partido: Novo
Ocupação: Economista
Grau de instrução: Superior completo
Nascimento: 01/05/1952
Limite de gastos
1º turno: R$ 14 milhões
2º turno: R$ 7 milhões

15 CANDIDATOS AO SENADO E MAIS 30 SUPLENTES DISPUTAM VOTOS DOS MINEIROS PARA DUAS VAGAS


Ana Paula Alves Saliba
Nome na urna: Ana Alves
Partido: PCO
Número: 290
Ocupação: Jardineira
Coligação: ------------------
Grau de instrução: Superior completo
Nascimento: 25/12/1978
1ª suplente: Fernando Lacerda
Partido: PCO
Ocupação: Agente administrativo
Grau de instrução: Superior completo
Nascimento: 16/03/1983
2º suplente: Jean Cláudio
Partido: PCO
Ocupação: Porteiro de Edifício, Ascensorista, Garagista e Zelador
Grau de instrução: Ensino médio completo
Nascimento: 06/02/1979
Limite de gastos
R$ 4,2 milhões

Alcindor Ribeiro Damasceno
Nome na urna: Bispo Damasceno
Partido: PPL
Número: 544
Ocupação: Empresário
Grau de instrução: Superior completo
Nascimento: 15/05/1964
1º suplente: Átila Ribeiro
Partido: PPL
Ocupação: Agente administrativo
Grau de instrução: Superior completo
Nascimento: 16/04/1962
2º suplente: Adriano Carvalho
Partido: PPL
Ocupação: Empresário
Grau de instrução: Superior completo
Nascimento: 23/07/1961
Limite de gastos
R$ 4,2 milhões


Carlos Alberto Dias Viana
Nome na urna: Jornalista Carlos Viana
Partido: PHS
Número: 310
Ocupação: Jornalista e redator
Coligação: ---------------------
Grau de instrução: Superior completo
Nascimento: 22/03/1963
2º suplente: Danilo Martins de Oliveira
Partido: PHS
Ocupação: Vereador
Grau de instrução: Superior completo
Nascimento: 26/10/1983
Limite de gastos
R$ 4,2 milhões

OBS.: Registro isolado
1º suplente: Castellar Guimarães Neto
Partido: PHS
Ocupação: Advogado
Grau de instrução: Superior completo
Nascimento: 04/10/1982

Carlos Eduardo Braga Menezes
Nome na urna: Kaká Menezes
Partido: Rede
Número: 180
Ocupação: Servidor público municipal
Coligação: ---------------
Grau de instrução: Ensino médio completo
Nascimento: 09/08/1979
1ª suplente: Odair Ferreira
Partido: Rede
Ocupação: Jornalista e redator
Grau de instrução: Superior completo
Nascimento: 30/08/1973
2º suplente: Maria do Carmo
Partido: Rede
Ocupação: Bióloga
Grau de instrução: Superior completo
Nascimento: 02/05/1953
Limite de gastos
R$ 4,2 milhões

Dilma Vana Rousseff
Nome na urna: Dilma Rousseff
Partido: PT
Número: 133
Ocupação: Outros
Coligação: Do Lado do Povo
PT/PCdoB/PSB/DC/PR
Grau de instrução: Superior completo
Nascimento: 14/12/1947
1ª suplente: Pedro Ananias
Partido: PT
Ocupação: Vereador
Grau de instrução: Superior completo
Nascimento: 30/09/1977
2º suplente: Arnaldo Godoy
Partido: PT
Ocupação: Vereador
Grau de instrução: Superior completo
Nascimento: 25/06/1951
Limite de gastos
R$ 4,2 milhões

Dinis Antônio Pinheiro
Nome na urna: Dinis Pinheiro
Partido: Solidariedade
Número: 777
Ocupação: Empresário
Coligação: Hora de Reconstruir
PSDB / PSD / SOLIDARIEDADE / PTB / PPS / PMN
Grau de instrução: Superior completo
Nascimento: 08/05/1967
1º suplente: Alberto Pinto Coelho
Partido: PPS
Ocupação: Empresário
Grau de instrução: Superior completo
Nascimento: 03/10/1945
2º suplente: Henrique Braga
Partido: PSDB
Ocupação: Vereador
Grau de instrução: Ensino médio completo
Nascimento: 01/09/1952
Limite de gastos
R$ 4,2 milhões

Duda Salabert
Nome na urna: Duda Salabert
Partido: Psol
Número: 500
Ocupação: Professora de ensino médio
Coligação: Frente Minas Socialista
Psol/PCB
Grau de instrução: Superior completo
Nascimento: 02/05/1981
1º suplente: Gerson Appenzeller
Partido: Psol
Ocupação: Servidor público civil aposentado
Grau de instrução: Superior completo
Nascimento: 07/01/1951
2º suplente: Luiz Pereira
Partido: Psol
Ocupação: Servidor público estadual
Grau de instrução: Superior completo
Nascimento: 18/07/1955
Limite de gastos
R$ 4,2 milhões

Edson André dos Reis
Nome na urna: Edson André P
Partido: Avante
Número: 700
Ocupação: Outros
Coligação: ---------
Grau de instrução: Superior completo
Nascimento: 23/07/1967
1º suplente: Helbert Ribeiro
Partido: Avante
Ocupação: Auxiliar de escritório e assemelhados
Grau de instrução: Superior incompleto
Nascimento: 14/12/1977
2º suplente: Rogério Rocha
Partido: Avante
Ocupação: Comerciante
Grau de instrução: Ensino fundamental incompleto
Nascimento: 24/02/1962
Limite de gastos
R$ 4,2 milhões

Elio Antônio Lacerda
Nome na urna: Coronel Lacerda
Partido: PPL
Número: 540
Ocupação: policial militar
Grau de instrução: Superior completo
Nascimento: 18/07/1954
1º suplente: Bruno Vasconcelos
Partido: PPL
Ocupação: Policial civil
Grau de instrução: Superior completo
Nascimento: 08/05/1981
2º suplente: Leonardo Madeira
Partido: PPL
Ocupação: Policial civil
Grau de instrução: Superior completo
Nascimento: 28/12/1982
Limite de gastos
R$ 4,2 milhões

Jaime Martins Filho
Nome na urna: Jaime Martins
Partido: Pros
Número: 900
Ocupação: Deputado
Coligação: Minas Tem Jeito
PSB / PDT / PODE / MDB / PROS / PRB / PV
Grau de instrução: Superior completo
Nascimento: 17/06/1953
1ª suplente: Daniel Nepomuceno
Partido: PV
Ocupação: Advogado
Grau de instrução: Superior completo
Nascimento: 05/02/1978
2º suplente: Sirley Soalheiro
Partido: PDT
Ocupação: Administradora
Grau de instrução: Superior completo
Nascimento: 03/09/1959
Limite de gastos
R$ 4,2 milhões

Jorge Alexandre Santos Luna da Silva
Nome na urna: Jorge Luna
Partido: PT
Número: 139
Ocupação: Outros
Coligação: Do Lado do Povo
PT/PCdoB/PSB/DC/PR
Grau de instrução: Superior completo
Nascimento: 26/04/1977
1ª suplente: Maria Aparecida de Jesus
Partido: PT
Ocupação: Socióloga
Grau de instrução: Superior completo
Nascimento: 12/01/1959
2º suplente: Luiz Carlos Mamede
Partido: PT
Ocupação: Outros
Grau de instrução: Superior completo
Nascimento: 04/08/1969
Limite de gastos
R$ 4,2 milhões

Rodrigo Antônio de Paiva
Nome na urna: Rodrigo Paiva
Partido: Novo
Número: 300
Ocupação: Empresário
Coligação: ------------
Grau de instrução: Superior completo
Nascimento: 25/10/1963
1º suplente: José Caldeira
Partido: Novo
Ocupação: Médico
Grau de instrução: Superior completo
Nascimento: 21/02/1953
2º suplente: Eduardo Caleghini
Partido: Novo
Ocupação: Administrador
Grau de instrução: Superior completo
Nascimento: 29/05/1978
Limite de gastos
R$ 4,2 milhões

Rodrigo Otávio Soares Pacheco
Nome na urna: Rodrigo Pacheco
Partido: DEM
Número: 250
Ocupação: Advogado
Coligação: Hora de Reconstruir
PSDB / PSD / SOLIDARIEDADE / PTB / PPS / PMN
Grau de instrução: Superior completo
Nascimento: 03/11/1976
1º suplente: Renzo Braz
Partido: PP
Ocupação: Empresário
Grau de instrução: Superior completo
Nascimento: 11/04/1980
2ª suplente: Ana Vieira
Partido: PSDB
Ocupação: Aposentada
Grau de instrução: Superior completo
Nascimento: 19/09/1945
Limite de gastos
R$ 4,2 milhões

Túlio César Dias Lopes
Nome na urna: Professor Túlio Lopes
Partido: PCB
Número: 210
Ocupação: Estudante, bolsista, estagiário e assemelhados
Coligação: Frente Minas Socialista
Psol/PCB
Grau de instrução: Superior completo
Nascimento: 08/06/1982
1ª suplente: Eloísa Helena
Partido: Psol
Ocupação: Advogada
Grau de instrução: Superior completo
Nascimento: 07/01/1951
2º suplente: Emanuel Júnior
Partido: Psol
Ocupação: Outros
Grau de instrução: Superior completo
Nascimento: 11/12/1941
Limite de gastos
R$ 4,2 milhões

Vanessa Portugal Barbosa
Nome na urna: Vanessa Portugal Barbosa
Partido: PSTU
Número: 161
Ocupação: Professora de ensino fundamental
Coligação: ---------------
Grau de instrução: Superior completo
Nascimento: 14/04/1970
1ª suplente: Geraldo de Araújo/Batata
Partido: PSTU
Ocupação: Outros
Grau de instrução: Ensino médio completo
Nascimento: 13/12/1972
2º suplente: José João da Silva
Partido: PSTU
Ocupação: Aposentado
Grau de instrução: Ensino médio completo
Nascimento: 12/05/1958
Limite de gastos
R$ 4,2 milhões

---------------
13 QUEREM SER PRESIDENTE DO BRASIL
Tribunal Superior Eleitoral/TSE recebeu 13 pedidos de registro de candidatura a presidente da República até o encerramento do prazo – 19h de 15 de agosto de 2018, quarta-feira. Vale ressaltar que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) pode ter a candidatura impugnada, e o vice, Fernando Haddad (PT) assume seu lugar. Neste caso, a candidata a vice deve ser Manuel DÁvila (PC do B) – que desistiu da candidatura a presidente da República para se aliar ao PT.

Álvaro Fernandes Dias
Nome na urna: Álvaro Dias
Partido: Pode (19)
Ocupação: Senador
Coligação: Mudança de Verdade
PODE / PRP / PSC / PTC
Grau de instrução: Superior completo
Nascimento: 07/12/1944
Vice: Paulo Rabello
Partido: PSC
Ocupação: Economista
Grau de instrução: Superior completo
Nascimento: 04/01/1949
Limite de gastos
1º turno: R$ 70 milhões
2º turno: R$ 35 milhões

Benevenuto Daciolo Fonseca dos Santos
Nome na urna: Cabo Daciolo
Partido: Patri (51)
Ocupação: Deputado federal
Coligação: ------------
Grau de instrução: Superior completo
Nascimento: 30/03/1976
Vice: Suelene Nascimento
Partido: Patri
Ocupação: Professora de ensino fundamental
Grau de instrução: Superior completo
Nascimento: 04/06/1962
Limite de gastos
1º turno: R$ 70 milhões
2º turno: R$ 35 milhões

Ciro Ferreira Gomes
Nome na urna: Ciro Gomes
Partido: PDT (12)
Ocupação: Advogado
Coligação: Brasil Soberano
PDT / AVANTE
Grau de instrução: Superior completo
Nascimento: 06/11/1957
Vice: Kátia Abreu
Partido: PDT
Ocupação: Senadora
Grau de instrução: Superior completo
Nascimento: 02/02/1962
Limite de gastos
1º turno: R$ 70 milhões
2º turno: R$ 35 milhões

José Maria Eymael
Nome na urna: Eymael
Partido: DC (27)
Ocupação: Empresário
Coligação:
Grau de instrução: Superior completo
Nascimento: 02/11/1939
Vice: Hélvio Costa
Partido: DC
Ocupação: Professor de ensino superior
Grau de instrução: Superior completo
Nascimento: 06/11/1972
Limite de gastos
1º turno: R$ 70 milhões
2º turno: R$ 35 milhões

Geraldo José Rodrigues Alckmin Filho
Nome na urna: Geraldo Alckmin
Partido: PSDB (45)
Ocupação: Médico
Coligação: Para Unir o Brasil
PSDB / PTB / PP / PR / DEM / SOLIDARIEDADE / PPS / PRB / PSD
Grau de instrução: Superior completo
Nascimento: 07/11/1952
Vice: Ana Amélia
Partido: PP
Ocupação: Senadora
Grau de instrução: Superior completo
Nascimento: 23/03/1945
Limite de gastos
1º turno: R$ 70 milhões
2º turno: R$ 35 milhões

Guilherme Castro Boulos
Nome na urna: Guilherme Boulos
Partido: Psol (50)
Ocupação: Historiador
Coligação: Vamos Sem Medo de Mudar o Brasil
PSOL / PCB
Grau de instrução: Superior completo
Nascimento: 19/06/1982
Vice: Sônia Santos
Partido: Psol
Ocupação: Professora de ensino médio
Grau de instrução: Superior completo
Nascimento: 06/03/1974
Limite de gastos
1º turno: R$ 70 milhões
2º turno: R$ 35 milhões

Henrique de Campos Meirelles
Nome na urna: Henrique Meirelles
Partido: MDB (15)
Ocupação: Engenheiro
Coligação: Essa é a Solução
MDB / PHS
Grau de instrução: Superior completo
Nascimento: 31/08/1945
Vice: Germano Rigotto
Partido: MDB
Ocupação: Empresário
Grau de instrução: Superior completo
Nascimento: 24/09/1949
Limite de gastos
1º turno: R$ 70 milhões
2º turno: R$ 35 milhões

Jair Messias Bolsonaro
Nome na urna: Jair Bolsonaro
Partido: PSL (17)
Ocupação: Membro das forças armadas
Coligação: Brasil Acima de Tudo, Deus Acima de Todos
PSL / PRTB
Grau de instrução: Superior completo
Nascimento: 21/03/1955
Vice: General Antônio Mourão
Partido: PRTB
Ocupação: Membro das forças armadas
Grau de instrução: Superior completo
Nascimento: 15/08/1953
Limite de gastos
1º turno: R$ 70 milhões
2º turno: R$ 35 milhões

João Dionísio Filgueira Barreto Amoedo
Nome na urna: João Amoêdo
Partido: Novo (30)
Ocupação: Engenheiro
Coligação: ----------------
Grau de instrução: Superior completo
Nascimento: 22/10/1962
Vice: Christian Lohbauer 
Partido: Novo
Ocupação: Cientista político
Grau de instrução: Superior completo
Nascimento: 05/01/1967
Limite de gastos
1º turno: R$ 70 milhões
2º turno: R$ 35 milhões

João Vicente Fontella Goulart
Nome na urna: João Goulart Filho
Partido: PPL (54)
Ocupação: Escritor e crítico
Coligação: ---------------
Grau de instrução: Superior incompleto
Nascimento: 22/11/1956
Vice: Léo da Silva Alves
Partido: PPL
Ocupação: Advogado
Grau de instrução: Superior completo
Nascimento: 24/01/1955
Limite de gastos
1º turno: R$ 70 milhões
2º turno: R$ 35 milhões

Luiz Inácio Lula da Silva
Nome na urna: Lula
Partido: PT (13)
Ocupação: Torneiro mecânico
Coligação: O Povo Feliz de Novo
PT/PC do B/Pros
Grau de instrução: Ensino fundamental completo
Nascimento: 06/10/1945
Vice: Fernando Haddad 
Partido: (PT)
Ocupação: Professor de ensino superior
Grau de instrução: Superior completo
Nascimento: 25/01/1963
Limite de gastos
1º turno: R$ 70 milhões
2º turno: R$ 35 milhões

Maria Osmarina Marina da Silva Vaz de Lima
Nome na urna: Marina Silva
Partido: Rede (18)
Ocupação: Historiadora
Coligação: Unidos Para Transformar o Brasil
REDE / PV
Grau de instrução: Superior completo
Nascimento: 08/02/1958
Vice: Eduado Jorge
Partido: PV
Ocupação: Médico
Grau de instrução: Superior completo
Nascimento: 26/10/1949
Limite de gastos
1º turno: R$ 70 milhões
2º turno: R$ 35 milhões

Vera Lúcia Pereira da Silva Salgado
Nome na urna: Vera
Partido: PSTU (16)
Ocupação: Outros
Coligação: ----------------
Grau de instrução: Superior completo
Nascimento: 12/09/1967
Vice: Hertz Dias
Partido: PSTU
Ocupação: Professor de ensino médio
Grau de instrução: Superior completo
Nascimento: 20/10/1970
Limite de gastos
1º turno: R$ 70 milhões
2º turno: R$ 35 milhões
----------------------


ROSA WEBER É NOVA PRESIDENTE DO TSE E EDSON FACHIN AGORA É EFETIVO NA CORTE ELEITORAL
Ministra  Rosa Weber assume a presidência do Tribunal Superior Eleitoral às vésperas das eleições gerais de 2018 para um mandato até 25 de maio de 2020, quando termina o seu segundo biênio como integrante efetiva da Corte. Já o ministro Edson Fachin tomou posse como ministro efetivo do TSE para um período de dois anos. Rosa Weber e Edson Fachin integram também o Supremo Tribunal Federal/STF. 
(Foto: DivulgaçãoTSE)
--------------------

10 de agosto de 2018

CONTA-GOTAS


CADA UM DELES TEVE PARTICIPAÇÃO NAS RELAÇÕES TUMULTUADAS ENTRE
UBERABA E UBERLÂNDIA (FOTOS: INTERNET)
Curiosidade histórica
UBERLÂNDIA X UBERABA
(Capítulo I)
Um dos casos mais emblemáticos de rivalidade do interior do Brasil, que ultrapassa questões puramente bairristas, refletiu o professor de História, Selmane Felipe de Oliveira
Distantes pouco mais de 100 quilômetros uma da outra, há cerca de 100 anos as duas maiores cidades da mesorregião do Triângulo Mineiro/Alto Paranaíba rivalizam em quase todos os aspectos, mas, especialmente, na disputa pelo desenvolvimento econômico.
Isso passa obviamente pela política, e em tempos mais recentes passou a desaguar  nas redes sociais.
Em Rivalidade entre Uberlândia e Uberaba (Cadernos de História, Uberlândia), o professor Selmane Felipe de Oliveira, mestre e doutor em História, especialista em Filosofia, diz que se trata “de um dos casos mais emblemáticos de rivalidade do interior do Brasil, que ultrapassa questões puramente bairristas, onde o enfrentamento de políticos e empresários das duas cidades moldaram durante o último século, duas das principais cidades de Minas Gerais”.
O texto, por sinal, foi um dos primeiros postados no blog PROFELIPE, criado por ele em maio de 2009, e ganhou outros espaços na internet e em publicações impressas.
O professor não tem dúvida de que a rivalidade entre Uberlândia e Uberaba é um aspecto ideológico importante, uma vez que é usada pelas lideranças das duas cidades para incentivar o progresso.
Ele lembra que Uberlândia foi distrito de Uberaba, mas que, desde sua emancipação sempre lutou pelo seu próprio crescimento.

TEMPESTADES SEMPRE À ESPREITA
Tempos de bonança entre Uberaba e Uberlândia geralmente não são levados muito a sério. Afinal, as tempestades estão sempre à espreira.
Principais lideranças das duas cidades, o atual prefeito de Uberlândia, Odelmo Leão (PP) – que nasceu em Uberaba; o prefeito de Uberaba, Paulo Piau (MDB), e o deputado federal majoritário de Uberaba e do Triângulo, agora candidato a vice-governador, Marcos Montes (PSD) – formado em Medicina pela Universidade Federal de Uberlândia/UFU, bem que ensaiaram uma amizade – daquelas consideradas “desde criancinhas”...
Mas qual o quê! Em menos de cinco meses (de abril a agosto de 2018) já foram duas tempestades de tirar o fôlego.

MOSAIC PÕE LENHA NA FOGUEIRA
A primeira encrenca surgiu quando a Mosaic Fertilizantes – que comprou a Vale, que havia comprado a Fosfertil, anunciou que implantaria seu Centro de Soluções Compartilhadas/CSC em Uberlândia, rasgando elogios pra cima da cidade – saúde, educação, tudo “era melhor e maior”, segundo a Mosaic. Uberaba reagiu como poucas vezes se viu na histórica rivalidade.
Após várias semanas de pesquisas – pra provar que Uberaba, apesar de menor, é melhor; de intensa disputa de oferta de facilitações tributárias, entre outras; de reuniões e mais reuniões – com e sem a presença de representantes da Mosaic; de declarações nada gentis nas duas câmaras municipais; e assim por diante, eis que a empresa bateu o martelo pela decisão mais coerente: o CSC vai ser instalado em Uberaba, onde está grande parte da cadeia produtiva da Mosaic.

AMIZADE...AMIZADE, ELEIÇÕES À PARTE
As eleições 2018 provocaram a segunda tempestade entre Uberaba e Uberlândia no período de abril/agosto. Dia 11 de junho o senador Antonio Anastasia (PSDB), então pré-candidato a governador de Minas Gerais fez voo rasante em Uberaba para receber homenagens, participar de reuniões e – confirmando o que já circulava extraoficialmente, para anunciar que seu vice seria o deputado federal Marcos Montes.
Ex-prefeito da cidade em duas gestões - onde tem sua principal base política e eleitoral e reside sua família, Marcos Montes também assumiu a coordenação política da campanha.  “Eu o escolhi por uma série de fatores, entre eles, por representar o interior de Minas, especialmente o Triângulo/Alto Paranaíba” – repete o agora candidato a governador por onde anda.
A tempestade aconteceu poucas horas depois, quando o prefeito de Uberlândia, Odelmo Leão, anunciou que faria aliança com outro candidato a governador, neste caso, o deputado federal Rodrigo Pacheco (Dem) – que a exemplo de Anastasia escolheu para a vaga de vice alguém do Triângulo/Alto Paranaíba: a esposa de Odelmo, primeira-dama Ana Paula (PP).
As redes sociais ferveram. As duas câmaras de vereadores ferveram. Os veículos de comunicação de Uberaba ferveram...
De olhos arregalados, mas mantendo o estilo mineiro de fazer política, Antonio Anastasia e Marcos Montes saíram a campo elogiando Odelmo Leão e Rodrigo Pacheco, dando a eles “o direito da livre escolha”, e por aí afora.
Dia 6 de agosto veio a notícia comprovando que a mineirice também atuou nos bastidores: Rodrigo Pacheco desistiu da candidatura a governador e se aliou à chapa Anstasia/Marcos Montes para disputar o cargo de senador.
A primeira-dama de Uberlândia retomou o projeto inicial: ser candidata a deputada federal.
---------------------

Curiosidade histórica
UBERLÂNDIA X UBERABA
(Capítulo II)
Uberlândia, então São Pedro de Uberabinha, foi distrito de Uberaba e se emancipou em 1888, mas só ganhou o nome atual em 1929

ERivalidade entre Uberlândia e Uberaba (Cadernos de História, Uberlândia), o professor Selmane Felipe de Oliveira cita momentos – que seriam cômicos se não fossem trágicos, na disputa entre as duas cidades.

Momentos 
Texto do autor 
(Com reproduções de outros textos entre aspas...)

TRISTE LEMBRANÇA
"Na tribuna (da Câmara de Uberlândia) o vereador Jeová Abrahão protesta contra declarações do deputado José Marcus Cherém que tentou desmerecer Uberlândia, dizendo que Uberlândia antigamente era distrito de Uberaba, sob o nome de Uberabinha e que se emancipando, conseguiu um ‘razoável progresso’. (. . . ) O vereador Adriano Bailoni Jr. em aparte diz que éramos Uberabinha, mas agora queiram ou não queiram os despeitados, Uberlândia é a capital do Triângulo Mineiro."

MÁRIO PALMÉRIO
Inimigo nº 1 de Uberlândia

Outra questão polêmica entre Uberlândia e Uberaba foi a criação das faculdades na região. Como vimos anteriormente, Uberaba era considerada o centro cultural do Triângulo na década de 50. Neste período o principal responsável na luta pelas escolas superiores foi o deputado uberabense Mário Palmério.
Contraditoriamente, ele prometia, em campanha, conseguir faculdades para a região, mas, na realidade, as mesmas eram instaladas somente na sua cidade. Essa atitude revoltava os outros municípios triangulinos, acirrando ainda mais a rivalidade entre Uberlândia e Uberaba:

"Uberaba, indiscutivelmente, é cidade que possui o maior número de escolas superiores no Triângulo Mineiro, pelo fato de as outras cidades não possuírem nenhuma.
(. . . ) Com certeza os uberlandenses estão lembrados de um moço simpático, bem falante, acessível que (há uns 3 ou 4 anos) andou por aqui falando para todo mundo que mandaria para nós uma faculdade de medicina e com isto conseguindo um ótimo contingente de votos que o levou facilmente ao Palácio Tiradentes.
Pois este moço que nos prometeu faculdade de medicina em praça pública é o mesmo que a obteve para nossa vizinha e centenária Uberaba. Seu nome é Mário Palmério. Que ninguém esqueça dele."

Assim, se o deputado Mário Palmério havia sido bem votado em Uberlândia na campanha de 50, justamente pelas promessas de conseguir escolas superiores para a cidade, nos anos posteriores ele passou a ser visto como inimigo dos uberlandenses, na medida em que todos os benefícios eram encaminhados apenas para Uberaba.
(...) Portanto, na segunda metade da década de 50, Uberlândia já havia desistido de conseguir as faculdades para a cidade através do Mário Palmério. No seu lugar, foram adotadas outras estratégias para a conquista das escolas superiores, como a eleição de deputados uberlandenses e as campanhas pró ensino superior...

RONDON PACHECO
(Inimigo nº 1 de Uberaba)
Outro ponto que gerou conflito foi a administração do uberlandense Rondon Pacheco enquanto governador do Estado de Minas Gerais. De fato, o que ocorreu foram reclamações dos deputados uberabenses de que Rondon Pacheco estaria beneficiando somente Uberlândia.

Foi o caso da instalação da fábrica da Coca-Cola em Uberlândia - com os protestos do deputado Sylo Costa - e ainda a entrevista de outro deputado de Uberaba, Eurípedes Craide, que acusou o governador de estar "adotando uma política de regionalismo, levando benefícios para Uberlândia, que é sua terra natal, em detrimento de Uberaba, marginalizada pelo govêrno."

Do lado uberlandense, a defesa do governador:
"Nem acertou Eurípedes Craide dizendo que Rondon Pacheco faz política de regionalismo. Rondon Pacheco sempre foi um benfeitor do Triângulo Mineiro. Rondon Pacheco no Palácio da Liberdade é o próprio Triângulo Mineiro, pela primeira vez no governo de Minas.
Errou, foi injusto e leviano ao dizer que Rondon só está fazendo benefícios para Uberlândia. Desde o tempo em que era deputado federal trabalhou pela região. Deu muita coisa a Uberaba. Como a Uberlândia, a Ituiutaba, a Araguari, a Tupaciguara.
Ousamos afirmar que todas as estradas asfaltadas desta região foram obtidas graças a trabalhos de Rondon Pacheco.
Em nome de uma pretensa ‘rivalidade’, Craide atacou o governador Rondon Pacheco. Parece que não tinha nada o que falar e foi mexer num ponto intocável. Porque se existe um homem imparcial, um político honesto e inatacável, este homem é o sr. Rondon Pacheco.
Ele é ‘tão contra’ Uberaba que nomeou subsecretário de Agricultura de Minas Gerais o uberabense Hildo Totti”...

CIDADE INDUSTRIAL DO TRIÂNGULO
Outra questão que gerou conflitos entre as duas cidades foi a proposta da criação da Cidade Industrial do Triângulo, em 1959, de acordo com o projeto de um deputado de Governador Valadares. A promessa do governador Bias Fortes de escolher Uberaba como sede para tal empreendimento revoltou os uberlandenses, que convocados pela Associação Comercial uniram-se e lutaram contra a intenção do governador.
Nesta luta entre as cidades, destacava-se o papel dos políticos, mesmo nos casos das derrotas políticas, pois serviam de "alerta" para o próprio município.

- "Anunciada a hora do expediente solicitada a palavra o vereador Homero Santos para fazer um protesto contra as injustiças que vêm sendo praticadas contra Uberlândia em benefício da cidade de Uberaba. Informa que ainda agora quando já se tinha como certa que a estação de controle do serviço de micro-ondas, que servirá Brasília seria sediada em Uberlândia, chega a notícia de que mais esse melhoramento irá beneficiar a cidade de Uberaba, graças naturalmente ao trabalho mais eficiente de seus políticos."

CULPA DOS POLÍTICOS
Assim, as derrotas políticas eram analisadas como injustiças - afinal, Uberaba "tomava" o que pertencia por "direito" a Uberlândia - e também como falta de competência dos políticos uberlandenses. Diante de qualquer conquista, a cidade era convocada a unir-se e lutar, para não perder para Uberaba. Foi assim também com a questão do ensino.

DELEGACIA SECCIONAL DE ENSINO
(O vereador Urquiza A. F. Alvim) "(. . . ) comenta que está para ser instalada no Triângulo Mineiro, a Delegacia Seccional de Ensino. Os políticos de Uberaba já se movimentaram para levar para aquela cidade a referida delegacia. Uberlândia não pode ficar para trás em relação ao ensino. Conclama a todos para que se unissem e trabalhassem no sentido de trazer a Delegacia Seccional de Ensino para Uberlândia."

QUESTÃO DE CENSO
(Suspeitas)
A problemática da rivalidade foi tão marcante, que chegava-se a questionar os dados oficiais sobre o crescimento das duas cidades, como ocorreu com o Censo de 1970, quando o vereador Natal Felice colocava em dúvida os dados referentes ao censo de Uberlândia, que na realidade "ultrapassa em muito o progresso da vizinha cidade."
Do lado de Uberaba, eram levantadas suspeitas de "que o Juiz de Uberlândia fraudou o alistamento eleitoral”.

IMPRENSA
Em 1973 aconteceu mais um atrito. Desta vez o motivo foram as críticas do jornal Correio de Uberlândia à TV Uberaba. Entre outras coisas, o jornal dizia que o comércio e o povo de Uberaba não apoiavam seu próprio canal de TV, e que em virtude do corte da metade de seus funcionários e "a redução drástica de seu horário de funcionamento", ficava claro "que a televisão de Uberaba caminha para um final melancólico, bem diferente daquele que se esperava quando de sua inauguração."
Como resposta, os jornais uberabenses Lavoura e Comércio e Jornal da Manhã, juntamente com a Câmara Municipal de Uberaba, saíram em defesa de sua cidade, questionando a reportagem do Correio de Uberlândia e expondo "as várias iniciativas da TV Uberaba, que demonstram sua vontade de progredir e crescer."
No final, um pouco constrangido, o jornal uberlandense afirmava ter "consciência de um dever cumprido" e desejava sucesso para o canal de TV uberabense, concluindo contraditoriamente - já que no primeiro artigo acusava a TV Uberaba de caminhar em marcha ré, devido, entre coisas, ao bairrismo dessa cidade .

CAPITAL DO TRIÂNGULO
A problemática da rivalidade chegou a atrapalhar uma das grandes lutas e reivindicações da região: a separação do Triângulo de Minas Gerais. Havia união: todos queriam separar-se de Minas Gerais e constituir-se num Estado independente, mas onde seria a capital? Nas campanhas separatistas, oficialmente essa questão não era muito analisada, para evitar atritos entre as cidades triangulinas, sobretudo, claro, entre Uberlândia e Uberaba.
Entretanto, alguns políticos tentavam solucionar este problema, incluindo uma terceira cidade para ser a capital do Triângulo. Essa era a postura do ex-prefeito de Uberaba, Hugo Rodrigues da Cunha, que dizia que a capital poderia ficar em Araxá.
A proposta do ex-prefeito, porém, não agrada de fato nem aos uberlandenses nem ao uberabenses. O sentimento bairrista era mais forte, o que reforçava a rivalidade entre os dois municípios. Aliás, a rivalidade neste contexto já era percebida em 1948, quando o jornal Diário de São Paulo analisou a separação do Triângulo:
"A velha rivalidade existente entre Uberaba e Uberlândia, as duas principais cidades do Triângulo Mineiro, tem sido o maior obstáculo às pretensões separatistas do antigo Sertão Farinha Pobre. Tanto Uberaba como Uberlândia, como os demais municípios mineiros, possuem fortes razões para desejar a independência do Triângulo, encaixando assim mais uma estrelinha na bandeira do Brasil. Mas acontece que, criando-se um novo Estado, criar-se-ia consequentemente uma nova capital .... e aí é que está o busílis. Uberaba, de forma alguma abriria mão desta prerrogativa; Uberlândia tampouco.
Ambas as cidades julgam-se dignas do pomposo título e das vantagens de capital. Uberaba apóia-se em razões históricas, Uberlândia em razões futuras; e assim, ambas temem a realização do velho sonho, na expectativa de que uma delas sairá mais beneficiada do que a outra."

MOMENTOS RAROS
(Chico Xavier e Tancredo Neves)
Além da luta pela separação do Triângulo - que unia as cidades triangulinas, apesar do problema da capital - , ocorreram momentos - raros, com certeza - em que a rivalidade era colocada num segundo plano. Um desses momentos foi a campanha pelo Nobel da Paz para o uberabense Chico Xavier, que contou com o apoio de Uberlândia.
Outro momento foi a eleição de Tancredo Neves como governador de Minas Gerais, que contou com um acordo entre prefeitos do PMDB de Uberlândia e Uberaba, para que não houvesse pressões na escolha dos cargos do governo, que prejudicasse uma ou outra cidade. Essa tentativa dos prefeitos do PMDB de preservar os interesses do partido demonstrava que a rivalidade entre as duas cidades não apenas existia, como era um problema a ser enfrentado pelo próprio governador. Em outras palavras, por mais que o PMDB da região - como em todo o Brasil - pregasse em campanha um projeto de mudança, de renovações, de fato, questões antigas e problemáticas, como a rivalidade entre Uberlândia e Uberaba, não deixavam de existir.
Em suma, o bairrismo permanecia, independente dos partidos políticos e de seus projetos. Poderiam ocorrer propostas de conciliação ou mesmo políticas onde se tentasse anular a questão da rivalidade, mas isso, na prática, através da própria negação somente reconhecida, quando não reforçava o sentimento bairrista.

------------------------






Presidência da República
ELES SÃO 13

A política brasileira foi movimentada pela temporada de convenções partidárias (20 de julho a 6 de agosto) destinadas a definir os candidatos e as alianças para as eleições gerais de outubro de 2018 (que acontecem dias 7 de outubro no 1º turno e 28 de outubro, se houver 2º turno).
As legendas têm até 19h de 15 de agosto, quarta-feira, para apresentarem na Justiça Eleitoral requerimento de registro dos candidatos – e até esta data, portanto, podem promover alterações.
Exemplo de mudança esperada é a que se relaciona à candidatura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), que está preso em Curitiba, e deverá ser impugnado por causa de condenação em segunda instância (lei da ficha limpa).
Se acontecer, o candidato a vice-presidente homologado pela convenção do PT – Fernando Haddad, ex-prefeito de São Paulo, deve assumir o lugar de Lula. Para a vaga de vice o nome seria de Manuela D'Ávila, do PC do B, que desistiu da candidatura própria e se aliou ao PT.






------------------






1 de agosto de 2018

CONTA-GOTAS


TSE DIVULGA NÚMEROS DO ELEITORADO APTO A VOTAR EM OUTUBRO DE 2018
Minas Gerais tem 15.700.966 eleitores aptos a votar em outubro de 2018. Números oficiais do eleitorado brasileiro foram divulgados na manhã de 1º de agosto, quarta-feira, pelo presidente do Tribunal Superior Eleitoral/TSE,  ministro Luiz Fux.
Minas continua sendo o segundo maior colégio eleitoral do país, concentrando 10,65% do eleitorado brasileiro -  que, para o pleito deste ano, será de 147.302.354 eleitores. O estado com maior número de eleitores é São Paulo. Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais/TRE-MG  avalia que o eleitorado mineiro cresceu pouco com relação às últimas eleições: em 2016, eram 15.692.484 inscritos.
Tribunal lembra que entre fevereiro de 2017 e fevereiro de 2018 quatro grandes municípios do estado (Betim, Contagem, Uberaba e Uberlândia) passaram por revisão biométrica do eleitorado, resultando no cancelamento de cerca de 270 mil títulos de eleitores, que não poderão votar outubro.
Os 147.302.354 eleitores brasileiros vão eleger o novo presidente da República e o vice; governador e vice em 27 estados; deputados federais, deputados estaduais; dois senadores por estado.
De acordo com os dados divulgados, esses 147,3 milhões de eleitores estão distribuídos pelos 5.570 municípios do país, bem como em 171 localidades de 110 países no exterior. Tem 1.409.774 de eleitores que não poderão votar nem se candidatar em 2018, por estarem com os direitos políticos suspensos.



Dívidas
PREFEITURA DE UBERABA ACIONA GOVERNADOR FERNANDO PIMENTEL NA JUSTIÇA
Com o prazo concedido para o pagamento encerrado dia 31/08, terça-feira, a Prefeitura de Uberaba prepara ação judicial contra o governo de Fernando Pimentel (PT). As duas notificações extrajudiciais sequer foram respondidas e a dívida ultrapassa os R$ 70 milhões. Petição preparada pelos advogados da prefeitura cobra os recursos, pede tutela antecipada e o bloqueio de valores do estado para garantir o pagamento de Uberaba.
Dívida se refere a valores decorrentes de receitas públicas a que tem direito o município - Saúde; Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços/ICMS e Imposto Sobre a Propriedade de Veículos Automotores/IPVA para o Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação/Fundeb 2018. E ainda, à correção do ICMS/2017; Piso Mineiro de Assistência Social e transporte escolar .

Ingresia 
Política é mesmo que nem nuvem passageira... Em campanha explícita contra o candidato a vice-governador de Minas, deputado federal, majoritário e ex-prefeito de Uberaba, Marcos Montes (PSD), o  também ex-prefeito e ex-ministro de Lula (PT), Anderson Adauto (PRB), disparou nos grupos de WhatsApp:
“Boa tarde!
Comunico q o ex prefeito de Bh, Márcio Lacerda, poderá ser o candidato a governador, tendo o Pmdb e o Prb e outros partidos, formando uma grande frente, e ser a terceira via em Minas! Então..., quem está fazendo muitos planos, tendo o Marcos Montes de vice, pode ir colocando as barbas de molho! E eu estou dentro dessa frente!”
Poucos minutos depois, os grupos recebiam a seguinte mensagem:
“Por apoio do PT em Pernambuco, executiva nacional do PSB retira candidatura de Márcio Lacerda em Minas”...

Hiroshima
Já o deputado federal Aelton Freitas (PR) perdeu boa parte do apoio político que tinha na base do prefeito Paulo Piau (MDB). Ainda repercute que nem uma bomba o vídeo em que ele diz com todas as letras que “é Antonio Anastasia só em Uberaba para pegar os votos de Marcos Montes, mas que no resto de Minas é Rodrigo Pacheco”.  Bora lembrar que Marcos Montes é vice de Anastasia (PSDB) e Pacheco é pré-candidato a governador pelo DEM com apoio do prefeito de Uberlândia...
Na convenção do PHS, em Belo
Horizonte, Marcos Montes apresenta
Franco Cartafina (de blusa azul)
ao candidato a governador,
Antonio Anastasia
(Foto: Reprodução Vídeo)


Substituto
Ninguém assume oficialmente, mas o presidente do PHS/Uberaba, vereador Franco Cartafina – de linhagem política tradicional, neto de ex-prefeito e de ex-vereadora, é o xodó da hora. Até antes do vídeo de Aelton Freitas estava certíssimo na candidatura de deputado estadual – mas depois, ah, depois são outras coisas!
Movimentos
Lançamento da candidatura a deputado estadual, dia 21 de julho, já indicava que havia algo diferente. Atraiu as presenças do presidente nacional do PHS, o deputado federal Marcelo Aro; do prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil, do candidato ao Senado pelo PHS, Carlos Viana, além do prefeito de Uberaba, Paulo Piau, o presidente da Câmara, Luiz Dutra (MDB), e o candidato a vice-governador de Minas, Marcos Montes – que andou almoçando com Kalil depois do evento.
Martelo
Neste 1º de agosto, quarta-feira, o PHS confirmou o que já levantava suspeitas: oficializou a candidatura de Franco Cartafina a deputado federal.


Fim de caso
Pré-candidato a deputado estadual, jornalista, radialista e empresário de rádio, Tony Carlos (MDB) retorna à Assembleia Legislativa de Minas Gerais – agora como efetivo no cargo. Ele toma posse dia 02/08, quinta-feira, às 15h, no salão nobre da ALMG.
Suplente da coligação MDB/PT, Tony perdeu o cargo no início de 2018 quando deputados estaduais que estavam de licença para comandar secretarias de estado voltaram para a Assembleia.
Desta vez, ele assume no lugar do líder do governo na ALMG, Durval Ângelo (PT), indicado pelo governador petista Fernando Pimentel para o Tribunal de Contas do Estado.
Antes de ocupar a cadeira como suplente na ALMG, Tony foi vereador em Uberaba durante seis mandatos, tendo sido eleito pela primeira vez em 1988. Presidiu a Câmara e o MDB de Uberaba.
Outro ex-vereador da cidade que ocupa cadeira na ALMG é Antônio Lerin (PSB), também pré-candidato em 2018.

Probidade em destaque
Promotor de Justiça José Carlos Fernandes Júnior – um dos palestrantes do evento, lembra que estão abertas até o dia 24 de agosto as inscrições para o Encontro Nacional da Defesa da Probidade Administrativa, que será realizado dias 30 e 31 de agosto, na sede do Conselho Nacional do Ministério Público/CNMP, em Brasília.
Evento está sendo promovido pela Unidade Nacional de Capacitação do Ministério Público/UNCMP, em parceria com a Comissão Especial de Enfrentamento à Corrupção  - CEC/CNMP, e é destinado aos membros do Ministério Público brasileiro, que poderão realizar suas inscrição no site do CNMP. A partir do dia 17 de agosto as inscrições estarão abertas também para os servidores do Ministério Público brasileiro.
José Carlos vai falar dia 30 de agosto, às 17h, sobre “Defesa do patrimônio público: a composição civil como instrumento efetivo para a recomposição dos danos e enfrentamento dos atos de improbidade administrativa”
Ele é presidente do Grupo Nacional de Coordenadores de Centros de Apoio Operacional à Defesa do Patrimônio Público/GNPP; coordenador do centro de apoio de Minas Gerais; representa o MP de Minas na Comissão Especial de Enfrentamento à Corrupção-CEC, do Conselho Nacional do MP; comandou a 15ª Promotoria de Uberaba e a Coordenação Regional das Promotorias de Justiça de Defesa do Patrimônio Público do Triângulo Mineiro; integrou o Grupo Especial de Promotores de Justiça de Minas Gerais; e foi secretário-Geral do MPMG – cargo pela primeira vez ocupado por um promotor de Justiça do interior

Solidariedade
RODEIO DE FRONTEIRA RENDE 3.000 LITROS DE LEITE PARA HOSPITAL REGIONAL DE UBERABA
Realizado pela cidade de Fronteira, o rodeio também rendeu leite para Hospital do Câncer de Uberaba e duas instituições de Frutal
Com uma taxa de internação na média de 95% dos leitos ocupados - em muitos dias chegando a 100%, e às vezes até com abertura de leitos extras, o Hospital Regional sediado em Uberaba acaba de ser beneficiado com a doação de 3.000 litros de leite longa vida. Produto foi arrecadado no 1º  Rodeio Solidário de Fronteira - realizado em comemoração aos 75 anos do município.
Mais de 8.000 pessoas estiveram no evento festivo, cuja entrada, em todas as noites de festa, foi um litro de leite longa vida. Além do Hospital Regional, a arrecadação também beneficiou o Hospital do Câncer de Uberaba (Hélio Angotti), e Casa da Criança e Asilo de Idosos na cidade de Frutal, entidades mantidas pela Assistência Social Pio XII.
Hospital Regional de Uberaba – que atende a região, inclusive Fronteira, possui 50 leitos convencionais ( clínicas médica e cirúrgica ) e ainda dez leitos de UTI – estes últimos sempre ocupados.
De acordo com o diretor técnico do Hospital Regional, Diego Amad Reck, o HR utiliza aproximadamente 700 litros de leite por mês. Desta forma, a doação vai atender a cerca de cinco meses de consumo.
------------------