5 de dezembro de 2011

CONTA-GOTAS


Uberaba vai escolher sete vereadores a mais nas eleições de 2012
----------------------
CONCILIAÇÕES NO MUTIRÃO DO SEGURO DE TRÂNSITO SOMARAM QUASE R$ 2 MILHÕES 
---------------------------------

AMPLIAÇÃO NO 
MERCADO DE 
Câmara de Uberaba já teve 19 vereadores - hoje tem 14,
e vai abrigar 21 a partir de 2013
TRABALHO
Legislatura municipal de Uberaba 2013/2016 vai contar com 21 vereadores – o que significa que as eleições de 2012 vão escolher sete a mais do que o número atual. Projeto de emenda à Lei Orgânica do Município foi aprovado em primeiro turno pela Câmara. Alteração é baseada em lei aprovada em 2009 pelo Congresso Nacional que redefiniu o número máximo de vereadores de acordo com a população do município. Com a medida, Uberaba, que segundo o IBGE tem 299,6 mil habitantes, pode ampliar o número de vereadores para até 21.


CHOCANTE
Quem chega do estado de São Paulo em Uberaba sofre um impacto pra lá de negativo. Enquanto as cidades ao longo da BR 050 paulista – incluindo as de pequeno porte, são uma belezura só, a entrada de Uberaba anda de dar dó, de tanta sujeira e tanto mato.

EXTREMA POBREZA
De janeiro a  outubro de 2011 o governo federal liberou nada menos do que R$ 5,367 milhões para o Bolsa-Família de Uberaba. Dinheiro – segundo o Portal da Transparência do governo federal, beneficiou 6.459 famílias. O programa faz transferência direta de renda para famílias em situação de pobreza e de extrema pobreza. Detalhe: Explicação é do governo federal.
SÓ PRA LEMBRAR
O Bolsa-Família atende a famílias cuja renda por pessoa não ultrapasse R$ 140. Dependendo do número e da idade dos filhos o valor varia entre R$ 32 a R$ 306.

ASSUNTO QUASE
BILIONÁRIO
Orçamento quase bilionário da Prefeitura de Uberaba não chegou a ser votado 5 de dezembro como previsto na pauta dos vereadores. Projeto do Executivo foi sobrestado pelo líder do prefeito na Câmara, vereador Cléber Ramos (PMDB), e deve retornar ao plenário dia 7 de dezembro.
ENTREVERO
Além de ter outros projetos na pauta - o que não seria permitido pelo Regimento Interno da Casa, a Comissão de Orçamento e Finanças não teria recebido respostas para dois requerimentos relacionados ao Fundo Municipal de Saúde. Assim, o prefeito Anderson Adauto (PMDB) terá que esperar mais um pouquinho pela aprovação do último orçamento (2012) do seu governo.
 
DOSE DUPLA
DE COISA BOA
Ótima pedida pro dia 14 de dezembro. Tem evento duplo no Espaço Arte e Cultura de Uberaba: o lançamento do livro de crônicas, Seguir Adiante, de Terezinha Hueb de Menezes, e a exposição - Devaneios - óleo sobre tela, da artista plástica Aparecida Hueb. Na rua Major Eustáquio, 149 C, às 19h30.
Enquanto seres viventes, somos impulsionados a seguir sempre adiante; essa é a mensagem que tentamos passar, tanto no livro quanto nas telas” – diz Terezinha Hueb.

CONCILIAR FAZ BEM
Nos três primeiros dias (28, 29 e 30 de novembro) da 6ª Semana Nacional de Conciliação, 101 audiências cíveis foram realizadas em Uberaba e 48 acordos homologados, somando R$ 36,068 mil. Para este período eram previstas 178 audiências cíveis.
Das 12 audiências criminais previstas, sete foram realizadas, com três sentenças homologadas. Informações integram resultado parcial divulgado pelo Tribunal de Justiça de Minas Gerais, que está acabando de fechar a movimentação dos dois últimos dias: 1º e 2 de dezembro.
FORÇA HUMANA
Foram atendidas 337 pessoas, com o envolvimento de sete juízes, 19 conciliadores e cinco colaboradores.

MUTIRÃO BANCÁRIO
Antecipando a Semana Nacional de Conciliação, a comarca de Uberaba realizou de 7 a 10 de novembro o 1º mutirão de processos envolvendo dívidas bancárias, neste caso, todas elas com o Bradesco. Cada dia da semana foi movimentado por uma das varas de Uberaba.
NÚMEROS
No total, foram 40 acordos. O resultado, segundo o TJMG, foi o seguinte: nove acordos na 1ª Vara Cível; 11 acordos na 2ª Vara Cível; 11 acordos na 3ª Vara Cível, enquanto as 4ª e 5ª Varas Cíveis somaram outros nove acordos.

MUTIRÃO DPVAT
Outra movimentação antecipada e que se destacou nos números recém-divulgados pelo TJMG foram as dívidas com o DPVAT – o Seguro de Trânsito, que cobre danos pessoais causados por veículos automotores terrestres.
RESULTADOS
Realizado de 4 a 8 de julho deste ano, o mutirão realizou 792 audiências, sendo que 416 estavam aptas à conciliação. Houve acordo em 266 delas, representando 64% do total. As conciliações somaram R$ 1,849 milhão.

SOLIDARIEDADE
Quem quiser colaborar com o Natal de crianças e adultos assistidos pela Adefu – Associação dos Deficientes Físicos de Uberaba, pode entrar em contato com a professora de educação física da entidade, Maria de Lourdes Pereira de Souza. Valem presentes (roupas, brinquedos etc.) e ajuda pra realização de um evento festivo (comes e bebes).  Contatos com ela pelos telefones: 8848-4461 (Vivo), 9137-2732 (Tim), 8888-3226 (Oi) e 3338-2371 (após 18h).

O QUE É...
Adefu é uma organização  não-governamental, sem fins lucrativos, fundada em 1989, e que tem por objetivo a promoção social de portadores de necessidades especiais, bem como de seus familiares. A instituição atende principalmente a população de baixa renda. Em sua maioria são pacientes com sequelas neurológicas (adulto e infantil) e que necessitam de um acompanhamento na área de saúde visando à reabilitação e prevenção.
Entidade fica na rua Francisco Moreira Araújo, nº 70, Conjunto Uberaba 1.

“Deu zebra no milhão do USC, viraram dois!”
*Comentário destacado pelo deputado federal Paulo Piau (PMDB) na sua página do Facebook pra dizer que, o valor de R$ 1 milhão previsto para o Uberaba Sport Club, se tornara uma conquista de R$ 2 milhões

CURIOSIDADE
CASO ESPECIAL
O TJMG classifica de “inusitado” e está usando como incentivo um dos casos ocorridos na 3ª Vara Cível de Uberaba durante o mutirão bancário.
Um senhor conhecido como A.M.S.S. apareceu no mutirão, motivado pela filha, de nove anos de idade, para entrar em acordo com o banco.
A criança ficou sabendo da iniciativa e convenceu o pai a tentar um acordo, a fim de resolver uma antiga dívida com o banco.
A execução, distribuída em 1995, com sentença condenatória, já estava arquivada aguardando bens para penhora e não foi selecionado pelo banco para o mutirão como possibilidade de acordo. 
De acordo com a escrivã da 3ª Vara Cível, Elisabeth Mendes Souza, o que chamou a atenção neste caso foi o fato de o devedor procurar os responsáveis pelo mutirão a pedido da filha menor, que sempre soube dos problemas enfrentados pelo pai, em decorrência da dívida.
Ainda segundo Elisabeth Mendes, esse fato é a prova concreta de que, mesmo uma dívida considerada como “impagável” por uma pessoa humilde, mas honesta, pode ser paga como por intermédio de iniciativas como a de mutirão.
*Fonte: Site do Tribunal de Justiça de Minas Gerais


Nenhum comentário:

Postar um comentário