24 de abril de 2012

CONTA-GOTAS...Notícias

PANE NA COMUNICAÇÃO
Durou até onde pode o relacionamento entre o prefeito Anderson Adauto, do PMDB, e o secretário-geral do seu partido, João Caldas. Neste dia 23 de abril, segunda-feira, não sobrou sequer a amizade virtual no Facebook. Pelo que andaram verificando “especialistas” em redes sociais – e fontes de Conta-Gotas, o dirigente do PMDB foi simplesmente bloqueado no mural do prefeito.
RELAÇÕES CORTADAS ---- Tipo aquelas amizades de infância ou adolescência, os entreveros tiveram início quando AA fez uma brincadeira em entrevista na rádio, e o secretário do PMDB pegou a deixa e levou a piada pra frente. Perdeu o cargo que tinha no governo – diretor da Companhia de Desenvolvimento de Informática de Uberaba, a Codiub, e deixou que a razão fosse suplantada pela mágoa.
RÉPLICA --- Além da reação natural de assinar o pedido de intervenção no PMDB de Uberaba – coisas da política, João Caldas também passou a manifestar e protestar no mural do partido, que era coordenado por ele, e até no mural do próprio prefeito, no Facebook.
TRÉPLICA ---- Em reunião do PMDB no domingo, 22 de abril, pessoas ligadas ao prefeito pediram que João Caldas fosse afastado da página da legenda na rede social. Orientado por amigos, o secretário-geral ainda tentou reverter a situação, fazendo com que o mural peemedebista voltasse à imparcialidade que chegou a merecer elogios de muita gente.
E MORAL DA HISTÓRIA ---- João Caldas foi afastado da página do PMDB no facebook, e, de quebra, foi bloqueado na página pessoal de Anderson Adauto.

Abertura do mural do PMDB no Facebook - Rede social vai bombar nas eleições 2012
O CONTROLADOR --- Consta que a página do PMDB no Facebook ficará a cargo do controlador-geral do município, advogado Otoniel Inês Sobrinho, que vem a ser amigo e da confiança do presidente da legenda, Eduardo Palmério. E claro, do primeiro escalão do governo Anderson Adauto.

AS PRÉVIAS --- E por falar na reunião de domingo, os caciques do PMDB de Uberaba – incluindo o prefeito, decidiram realizar prévias para chegarem a um denominador comum no que concerne à candidatura majoritária. Se não acontecer nenhum acidente de percurso, os cinco pré-candidatos serão submetidos à votação interna, ou melhor...a votações.
OS SEM-MANDATO ---- Dia 26 de abril, quinta-feira, os três pré-candidatos sem mandato eletivo disputam a primeira etapa das prévias: o secretário de Governo e candidato do prefeito, Rodrigo Mateus, o presidente licenciado do PMDB e presidente do Uberaba Sport Club, Luiz Humberto Borges, e o engenheiro Roberto Velludo.
O VEREADOR ---- Para dia 2 de maio, está prevista a segunda etapa: o vencedor da primeira prévia disputa com o radialista e vereador Tony Carlos.
A CONVENÇÃO ---- A proposta de o vencedor disputar a convenção com o deputado federal Paulo Piau ficou um tanto quanto confusa. É que o próprio deputado discorda da ideia, entendendo que o candidato deve ser definido antes, de forma que a convenção seja apenas uma festa de homologação do nome. Encontros convencionais para escolha dos candidatos de 2012 acontecem entre 10 e 30 de junho.
MEU PAIPAI.... O presidente do PMDB, Eduardo Palmério, aproveitou mais esta chance para dar satisfação sobre o posicionamento do seu pai, o reitor da Universidade de Uberaba - Uniube, Marcelo Palmério, principal signatário do pedido de intervenção na legenda presidida pelo filho. Eduardo disse que pensa diferente do pai, mas que respeita a decisão dele.

PAPO CULTURA
Foto publicada em Curiosidade Histórica, na edição
de 29 de março, sobre Famílias em Imagens
(Acervo do Projeto Memória Viva da
Câmara Municipal de Uberaba)
E pra dar uma acalmada em Conta-Gotas, vale destacar o evento cultural da ora, em Uberaba. Trata-se do lançamento da obra "Raízes Arbëreshë - histórias e memórias da família Riccioppo", de Plauto Riccioppo Filho. Noite de autógrafos acontece dia 25 de abril, quarta-feira, a partir das 19h, na Livraria Alternativa Cultural (rua Major Eustáquio, 500).
PESQUISA ---- Não é por acaso que a promoção do evento leva a assinatura do Arquivo Público de Uberaba, dirigido por Lélia Sabino. O autor, que é uberabense de nascimento, debruçou-se por dez anos sobre fontes documentais e bibliográficas para reconstruir mais de 500 anos da família. Originária da  Albânia, a família Riccioppo se instalou na região de Arbëreshë, no Sul da Itália, e dali imigrou para Uberaba, Conquista e Sacramento.
PRATO CHEIO ---- Pra quem gosta de ler uma boa biografia – recheada de temas interessantes e muitas fotos, o livro tem tudo a ver.

Cacá Perez e seu violoncelo
(Foto: Divulgação)
CAMINHOS DE LUCÍLIA ---- Depois de vários lançamentos em Uberaba, além de Sacramento, Ituiutaba, Belo Horizonte, o livro Lucília – Rosa Vermelha faz nova parada em Uberaba. Terça-feira, 24 de abril, tem sessão de autógrafos dos autores, o jornalista Luiz Alberto Molinar e a historiadora Luciana Maluf Vilela, a partir das 19h, no campus I do Instituto Federal do Triângulo Mineiro – IFTM.
EMOÇÕES À PARTE ---- Evento terá o mestre Cacá Sankari – o Cacá Perez, ao violoncelo, e o ator Milo Sabino interpretando o hino A Internacional, em homenagem aos companheiros comunistas/socialistas.
O QUE ESPERAR ---- A Internacional – em francês, L'Internationale, é a mais famosa canção do socialismo, e uma das músicas mais conhecidas no mundo todo. Traduzida em vários idiomas, a letra original foi escrita em 1871 por Eugène Pottier, e em 1888, Pierre De Geyter a transformou em música. É tradicionalmente cantada com o punho fechado.

DO BALÉ PRA
MISSÃO EMPRESARIAL
Maurício Cecílio - Semblante de alívio
(Foto: Divulgação)
E voltando à fervura política de Uberaba, o ex-quase futuro candidato a prefeito pelo PSDB, engenheiro Maurício Cecílio, anda além-mar, ou mais precisamente, na terra dos nossos conquistadores. Representa o governo de Minas Gerais – leia-se companheiro tucano Antonio Anastasia, em missão comercial nas cidades de Lisboa e Porto. Na edição de 20 de abril, Conta-Gotas revelou que ele foi visto, na noite anterior, em Belo Horizonte, curtindo o famoso Balé Nacional da Ucrânia – Virsky, que se apresentava no teatro do Sesc Palladium.
SEGUINDO EM FRENTE
Poucas horas antes de ser notado – e anotado, no balé, Maurício Cecílio havia deixado Uberaba em efervescência ao mandar carta ao PSDB desistindo da pré-candidatura a prefeito. A gota d´água foi reunião com o colega de PSDB, Fahim Sawan, que bateu o pé na intenção de ser candidato. O ex-deputado estadual se autolançou pré-candidato assim que a tucanada anunciou o nome de Cecílio.
SEGUINDO EM FRENTE 2 --- Enfim, o próprio desistente fez questão de anunciar, em rede social, sua presença em Portugal – até dia 28 de abril. Neste período, a Câmara Portuguesa de Comércio no Brasil - Minas Gerais, a Associação Comercial e Empresarial de Minas e a Fumsoft (da área de tecnologia e informação) realizam missão empresarial, com o objetivo de facilitar a aproximação e o desenvolvimento de parcerias estratégicas entre empresas brasileiras – especialmente as mineiras, e portuguesas.
PÚBLICO-ALVO --- A missão especial tem na mira os micro, pequenos e médios empresários mineiros e portugueses que buscam a internacionalização de suas empresas através de parcerias estratégicas, além de instituições que desejam participar desse processo de internacionalização e desenvolver novos negócios. 

OLHO NOS GASTOS ELEITORAIS ---- Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais – TRE/MG, aprovou, por unanimidade, resolução que regulamenta os procedimentos referentes ao controle e fiscalização do financiamento e da arrecadação e gastos de campanha dos partidos, candidatos e comitês financeiros nas eleições de 2012. 
INFORMATIZAÇÃO ---- Pela primeira vez, em se tratando de eleições municipais, será adotado um sistema informatizado para aumentar a eficácia do controle dos gastos de campanha. Trata-se de uma iniciativa pioneira do TRE/MG. O sistema utilizará a base de dados do Sistema de Prestações de Contas de Campanha – SPCE, que permite o cruzamento eletrônico dos dados colhidos durante a campanha e as informações contidas nas prestações de contas.
PRINCIPAIS TÓPICOS
• Gastos de campanha e fiscalização
_O  juízes eleitorais serão os responsáveis pela fiscalização externa para a constatação e registro dos gastos de campanha, concomitantemente à sua realização, a fim de subsidiar o exame das prestações de contas de candidatos, comitês financeiros e partidos políticos. A fiscalização será realizada por amostragem, preferencialmente nos locais de maior incidência de propaganda e atos de campanha, a critério do juiz eleitoral, em sua respectiva jurisdição
• Comitês financeiros
_O pedido de registro de comitê financeiro, acompanhado da respectiva mídia, gerada pelo SRCF - Sistema de Registro de Comitê Financeiro, e dos demais, deverá ser apresentado pessoalmente, no cartório eleitoral de sua circunscrição, que emitirá seu respectivo recibo de entrega;
• Comercialização de bens
O comitê financeiro, o partido político ou o candidato poderão promover a comercialização de bens ou eventos para arrecadação de recursos a serem utilizados na campanha eleitoral. As informações relativas à realização dos eventos sujeitos à fiscalização serão dirigidas aos juízes eleitorais das respectivas Zonas Eleitorais em que se realizarão os eventos, devendo-se respeitar o prazo mínimo de cinco dias;
• Circularização
_A SCI/TRE-MG e os cartórios eleitorais poderão requisitar, previamente ao exame das contas, informações a potenciais fornecedores de bens ou serviços a candidatos, partidos políticos e comitês financeiros, visando a formação de banco de dados para posterior cotejamento com as informações contidas nas prestações de contas;
• Entrega da prestação de contas
_As contas parciais deverão ser prestadas via internet na página do Tribunal Superior Eleitoral –TSE (www.tse.jus.br). Já as prestações de contas finais acompanhadas da respectiva mídia, dos demonstrativos impressos, gerados pelo SPCE2012 – Sistema de Prestação de Contas Eleitorais para candidato, comitê financeiro e partido político e demais documentos obrigatórios deverão ser entregues e protocoladas, pessoalmente, nos foros eleitorais. 

PARTIDO NOS TRINQUES
Eustáquio Reis
(Foto: Divulgação)
Como previu Conta-Gotas na edição de 3 de abril, foi só uma questão de tempo para o PSOL de Uberaba se organizar. Acaba de ser oficializada a nova Comissão Executiva Municipal Provisória, com validade até 17 de abril de 2014 – um fôlego e tanto para o comando da legenda.
SÓ DÁ ELE --- O que não é novo é o nome do presidente: o ferroviário aposentado e líder absoluto da legenda na cidade – José Eustáquio dos Reis, voltou ao cargo. O PSOL estava sem comando desde 2010, mas seu principal líder vinha, nas últimas semanas, se apresentando como presidente da sigla.
QUIABANDO ---- Por sinal, até sexta-feira, 13 de abril, o pessoal do PCB não andava nada satisfeito com o PSOL. Nesta data o blog da legenda não poupava críticas ao partido de Eustáquio Reis, sob a alegação de que, após fechar acordo com o PCB e o PSTU, o PSOL estava trocando olhares com o PT. Procurado por Conta-Gotas, o presidente do PSOL só mandou um alô gentil...

TAL E QUAL
E assim, dos 25 partidos existentes legalmente em Uberaba – segundo a Justiça Eleitoral, apenas o PDT permanece em situação incerta.. A comissão provisória presidida por Luiz Henrique Borges foi extinta dia 14 de abril, e permanecia extinta até o fechamento desta edição de Conta-Gotas, na noite/madrugada de 23 de abril.
ENQUANTO ISSO ...
As duas principais lideranças do PDT continuam em pé de guerra. O presidente da Câmara, Luiz Dutra, candidato à reeleição – e que tem um relacionamento amistoso com o prefeito Anderson Adauto (PMDB), e o pré-candidato a prefeito, João Franco, ex-homem forte do governo Anderson e agora inimigo, não podem ser convidados para a mesma mesa.

DEMOLIÇÃO
Prédio centenário do jornal Lavoura e Comércio – localizado na rua Vigário Silva, está sendo “desmontado”. Adquirido, através de leilão, em agosto de 2011, pelo empresário de Uberlândia, Carlos Sabbag, o imóvel estaria destinado a abrigar uma futura unidade das Lojas Americanas. Informações ainda são extraoficiais.
INVENTÁRIO ---- Vale ressaltar que o prédio em questão encontra-se na lista dos bens imóveis inventariados de Uberaba, mas que não chegou a ser tombado - o que não permitiria mudanças radicais na edificação. O prédio tem oito cômodos, onde funcionaram as oficinas e redação do jornal, e segundo o inventário, feito em 1987, o estilo da construção é “eclético”.
LEILÃO E MISTÉRIO----- O imóvel foi arrematado pelo uberlandense por cerca de R$ 1,7 milhão. Na oportunidade, o empresário Carlos Sabbag desconversou e fez mistério sobre a destinação do prédio. Disse apenas que tinha projetos importantes e que a fachada seria preservada.

Eduardo Azank
(Foto: Divulgação)
NOS ANAIS
Professor da Uniube, Eduardo Azank, vai entrar para a história da 14ª Subseção da Ordem dos Advogados do Brasil – a OAB/Uberaba. Dia 2 de maio de 2012, às 17h, o presidente estadual da OAB, Luís Cláudio Chaves, ajuda a descerrar a foto de Azank na Galeria dos Ex-presidentes da OAB Uberaba. Ele presidiu a entidade no triênio 2007/2009.Evento ainda acontece na sede localizada na rua Lauro Borges, mas nos próximos meses toda a Galeria será transferida para a nova sede – na rua Maranhão.
MOTIVOS AOS MONTES --- Também no dia 2 de maio, o presidente da seccional mineira da OAB participa da abertura do I Congresso de Direito Comercial do Triângulo Mineiro, no Teatro Sesiminas. E mais: será lançado o Expresso OAB/Uberaba e serão homenageados todos os ex-presidentes da 14ª subseção para comemorar os 80 anos da entidade.

RECAPITULANDO ---- Agora, são 19 os nomes colocados como prefeitáveis de Uberaba. Maurício Cecílio, do PSDB, desistiu, e Marilda Ribeiro, do PT, não se inscreveu conforme as regras do partido.
*PMDB - 5
Rodrigo Mateus, Paulo Piau, Tony Carlos, Roberto Velludo, Luiz Humberto Borges
*PSDB - 1
Fahim Sawan
*PR - 4
Paulo Mesquita, Almir Silva, Samir Cecílio Filho, Samuel Pereira
*PT - 1
Adelmo Carneiro Leão
*PSB - 1
Antônio dos Reis Lerin
*DEM - 2
Itamar Ribeiro, Marcelo Borges
*PPS - 1
Edson Santana
*PV - 1
Vicente Araújo Neto
*PSC- 1
Wagner Júnior
*PMN – 1
Antônio Carlos da Silva
*PDT - 1
João Franco

------------------------------------
CURIOSIDADE HISTÓRICA
O DESABAFO
Painel exposto do lado de fora do jornal anunciava
as notícias do dia. Não havia quem resistisse a
uma paradinha pra ler as manchetes
(Foto: Reprodução de Juliano Carlos
Fonte: Jornal Revelação/Uniube on-line)
O tema deste espaço, nesta edição de Conta-Gotas, não podia ser outro: o jornal Lavoura e Comércio.
Nem podia ser diferente.
Ao passar pela rua Vigário Silva no feriado de Tiradentes, senti um frio na barriga. Operários trabalhavam na demolição do imóvel – o mesmo que frequentei tempos atrás na condição de jornalista, quando trabalhava respirando história por todos os lados.
Apaixonada por coisas do passado - ainda que leiga no assunto, eu não resistia a leituras diárias das preciosidades que estavam ali, ao meu alcance, encadernadas em livros de capa dura, mas leves...leves como plumas.
Todo cuidado era pouco ao manusear folhas tão delicadas, e, ao mesmo tempo, tão robustas de história.
Lembro-me como se fosse hoje, das notícias sobre a visita de Monteiro Lobato a Uberaba, em campanha pelo “Petróleo é Nosso”. 
As páginas do Lavoura e Comércio pareciam voltar no tempo, contando, nos mínimos detalhes, o que ele falou, onde foi, com quem conversou.
Lembro-me como se fosse hoje, das notícias sobre a II Guerra Mundial. Era como se o jornal tivesse mil correspondentes no front, enviando notícias a cada minuto.
Chegavam tantas notícias que a diretoria do jornal ousava fazer duas edições num mesmo dia.
Falei sobre isso na edição de Conta-Gotas de 31 de março, quando Curiosidade Histórica lembrou vários outros jornais que funcionaram em Uberaba ao longo da história da cidade.
Porém, só um – o Lavoura e Comércio, foi tão longe.
Fundado dia 6 de julho de 1899, o jornal circulou quase que ininterruptamente – com raras exceções, até 27 de outubro de 2003.
Surgiu em defesa dos pequenos, médios e grandes produtores rurais, com mais de 50 matérias, praticamente todas elas relacionadas ao assunto.
E assustou quem passava pela rua Vigário Silva, no dia 27 de outubro de 2003, e dava uma paradinha pra ler as “manchetes” – aquelas, que ficavam expostas no painel que durante décadas e décadas antecipavam o que iria ser publicado naquele dia.
A “manchete” anunciava o fim.
Não é por acaso que a imprensa de Uberaba é considerada, ainda hoje, uma das melhores do interior do Brasil.

O LAVOURA E COMÉRCIO
(104 ANOS FAZENDO E DIVULGANDO HISTÓRIA)
O jornal foi fundado por pequenos e grandes produtores rurais que tinham algo em comum: eram contra o governo mineiro,  por causa do alto custo do fisco estadual.
Resolveram assim, criar um jornal que fosse o porta-voz de seus interesses.
Antônio Garcia Adjunto foi o primeiro diretor do Lavoura e Comércio.
Em 1906 o jornal passou para a família Jardim.
Os irmãos Francisco e Quintiliano Jardim melhoraram a linha editorial e ampliaram a abrangência do jornal, que extrapolou as fronteiras de Uberaba, do Triângulo e de Minas.
Quintiliano Jardim dirigiu o Lavoura até sua morte, em 1966, passando a direção para seus filhos George de Chirée, Raul e Murilo Jardim.
A credibilidade era tão grande que o lema surgido na época – e que perdurou até o fechamento do jornal, era "Se o Lavoura não deu, em Uberaba não aconteceu".
Desde a fundação, até o fechamento - 104 anos depois, o jornal só não circulou dois dias, na década de 1980,  durante uma greve dos gráficos. 

PERSEGUIÇÕES E MORTES
(Breves histórias)
Os jornalistas sempre foram vítimas dos abusos de políticos e poderosos.
E quase sempre o palco para as agressões eram as redações e escritórios dos jornais.
O jornal Lavoura e Comércio testemunhou e vivenciou momentos dramáticos.
Uma campanha realizada pelo jornal, por exemplo, em dezembro de 1912, fez com que o então delegado de polícia, Sertório Leão, acusado de não combater a jogatina na cidade, tentasse matar o jornalista Quintiliano Jardim. Ele foi atacado pelas costas e só não morreu porque o revólver travou.
Estava com Quintiliano, o jornalista e auditor de guerra do batalhão de polícia, João Camelo, que deu voz de prisão ao delegado.
Cinco anos depois, João Camelo seria assassinado. Em 28 de dezembro de 1917 foi morto pelo médico Luiz Boulanger Rodrigues da Cunha Castro Pucci.
Motivo: o jornalista teria feito críticas ao Partido Democrata em sua coluna 'Rodapés'.
Boulanger Pucci foi prefeito de Uberaba de 1947 a 1951.
Antes disso, em 20 de maio de 1922, o médico e agente executivo de Uberaba (presidente da Câmara com poderes de prefeito), João Henrique Sampaio Vieira da Silva, entrou nas dependências do Lavoura e Comércio, e pediu para falar particularmente com o colunista daquele Moises Santana.
A conversa aconteceu na sala do então diretor de redação, Quintiliano Jardim. Em dado momento do diálogo, João Henrique perguntou ao colunista se ele era responsável por algumas notas de coluna que faziam menção a ele.
Ao confirmar, o jornalista Moises Santana não imaginava que estaria assinando sua pena de morte. João Henrique sacou do revólver que portava na cintura - fato comum na época, disparou vários tiros contra o colunista, que foi socorrido, mas morreu no dia seguinte.
O destaque fica mesmo é para a agilidade da Justiça: em apenas um mês e um dia, o assassino foi investigado, denunciado e absolvido pelo Tribunal do Júri.
Fonte:
Wikipédia
(Sujeito a correções)


90 ANOS DO LAVOURA E COMÉRCIO
(AINDA NO AUGE)
DISCURSO NA TRIBUNA DA CÂMARA DOS DEPUTADOS
17 de junho de 1989
*Deputado federal de Uberaba, Arnaldo Rosa Prata

DISCURSO DO SR. ROSA PRATA, PUBLICADO
NO DCN DE 17-6-1989.
O SR. ROSA PRATA (PMDB - MG. Pronuncia
o seguinte discurso.)
_Sr. Presidente e Srs. Deputados, completando, em 6 de julho, 90 anos de existência
com circulação ininterrupta, o jornal Lavoura e Comércio, editado em Uberaba, Minas Gerais, afirma-se como sendo um dos periódicos de presença mais constante no cenário jornalístico do País.
É fácil dar-se conta das imensas dificuldades que enfrentaram todos aqueles que se propuseram a fazer gazetas no Brasil do século passado.
O que dizer daqueles que fizeram no interior...
Vem daí o extraordinário mérito do Lavoura e Comércio, que, se outros valores não tivesse, só o da circulação contínua por nove décadas já seria grande feito.
Mas, evidentemente, o jornal tem méritos extraordinários.
Ele surgiu com a missão específica de defender os legítimos interesses do produtor rural em face da ganância do fisco estadual, que pretendia cobrar, naquela época, tributo considerado lesivo à economia agropecuária.
O compromisso de defesa dos direitos do homem do campo foi, ao longo do tempo, bandeira do periódico; jamais, em toda a sua existência, deixaria de honrá-la.
Valorizando as iniciativas do trabalho, comprometido com os ideais libertários do povo que fez do diário verdadeiro arauto das reivindicações, o jornal constitui-se, hoje, em valioso repositório de informações da história do povo do Triângulo Mineiro.
Ele sempre foi fiel à comunidade e aos compromissos dela com o desenvolvimento
do País.
Mas é, sobretudo, no registro da regionalidade e das peculiaridades da vida no interior onde está, talvez, o maior mérito do jornal, que se vê, aos noventa anos, vigoroso, considerado e prestigiado.
É evidente que seus diretores souberam conduzir com inteligência as grandes e pequenas causas, dando ao povo uma trincheira permanente na defesa dos seus direitos.
O Lavoura e Comércio sempre defendeu a democracia, a família, os bons costumes, a valorização do trabalho e os direitos sociais do cidadão.
Encerrando este pronunciamento, quero parabenizar os diretores e funcionários do Lavoura e Comércio pela oportunidade da efeméride, que é uma das mais gratas da história de Uberaba.
Da tribuna que ocupo neste momento, no Congresso Nacional, permito-me homenagear a figura de Quintiliano Jardim, fundador e diretor do jornal que hoje exaltamos.
Ele foi um vulto de grande expressão cultural, estudioso e de trato ameno, viveu o seu tempo com a mentalidade voltada sempre para o futuro, valorizou e honrou seu povo e dele mereceu a maior consideração e respeito, lutou, trabalhou e viu sua empresa florescer, dissiminando idéias, registrando fatos, fazendo história.
Fonte:
Dário do Congresso Nacional
Câmara dos Deputados

-------------------------------------





Nenhum comentário:

Postar um comentário