15 de junho de 2013

CONTA-GOTAS...Notícias

Manifestações contra o preço da tarifa do transporte coletivo urbano em várias capitais
refletem em Uberaba, onde protesto também acaba de ser programado   (Foto: Enerson Cleiton)
REFLEXOS
35 mil são convocados através da rede social para manifesto contra a tarifa dos coletivos em Uberaba
Em poucas horas na sexta-feira, 14 de junho, quase 2.000 frequentadores do Facebook já haviam dito  “sim” à convocação para manifesto público contra o valor da tarifa do transporte coletivo urbano de Uberaba, hoje em R$ 2,90. O convite é para dia 21 de junho, sexta-feira, com concentração programada para 17h na praça Henrique Krügger – Correios, e deslocamento às 18h com destino à praça Rui Barbosa, passando pelo Calçadão da Rua Artur Machado.
CONSTITUCIONAL E PACÍFICO
Os organizadores incluíram na convocação o artigo 5º, inciso XVI, da Constituição Federal: “Todos podem reunir-se pacificamente, sem armas, em locais abertos ao público, independentemente de autorização.” Procuram assim, tranquilizar os mais de 23 mil convidados através da rede social. Além disso, fazem questão de ressaltar que “o protesto é pacífico”.
A TARIFA
O preço atual da tarifa cobrada hoje, pelas concessionárias Líder e Piracicabana, foi fixado pelo ex-prefeito Anderson Adauto (sem partido), no final do seu governo, e portanto no final de 2012. Ao assumir em 1º de janeiro de 2013 o sucessor, Paulo Piau (PMDB), acenou com a possibilidade de revisar o valor, caso uma análise nas planilhas reconhecessem que o preço está acima da realidade.
REFORÇO
As manifestações contrárias ao reajuste de Uberaba – centralizadas em publicações na imprensa e na rede social, ganharam um apoio peso pesado: a recente Medida Provisória da presidente Dilma Rousseff (PT), que reduziu para zero as alíquotas de dois tributos federais – o PIS e a Cofins, sobre as passagens de transporte urbano em todo o país.
GUERRA DE GUERRILHA
Nos últimos dias, o imbróglio dos preços do transporte coletivo ganhou as ruas e avenidas centrais de várias capitais e outras grandes cidades brasileiras, transformando os locais de protesto em praças de guerra entre manifestantes e polícia. É sob o impacto das imagens exibidas em todos os noticiários nacionais, que surge a convocação do protesto de Uberaba.
COMPARAÇÕES
No Rio de Janeiro – mais de 6,3 milhões de habitantes, a tarifa saltou, dia 1º de junho de 2013, para R$ 2,95. Pasme! Custava R$ 2,75! Em Natal – mais de 800 mil habitantes, a tarifa CAIU de R$ 2,40 para R$ 2,30. Os estudantes estão nas ruas porque querem uma tarifa de R$ 2,20. Em Goiânia – mais de 1,3 milhão de habitantes, a tarifa subiu para R$ 3,00. Pasme! Custava R$ 2,70 até o mês passado. Na vizinha Uberlândia – commais de 600 mil habitantes, a tarifa vale R$ 2,85.

O portão da casa da presidente Dilma Rousseff foi lacrado - muro cinza à direita,
logo após o imóvel ser vandalizado
(Foto: Colaborador da coluna)
RESIDÊNCIA DA PRESIDENTE DILMA ROUSSEF EM UBERABA FOI ALVO DE VANDALISMO
Há vários meses o portão de entrada da casa nº 90 da rua Vigário Silva, centro de Uberaba, está “blindado” por um muro de alvenaria. A providência foi tomada pela administração passada depois que o local foi invadido e vandalizado – segundo consta, por moradores de rua. A informação foi passada à coluna CONTA-GOTAS...Notícias, na noite desta sexta-feira, 14 de junho, por pessoa que acompanhou a movimentação em torno do problema, e leu as notas publicadas aqui, na edição anterior, a respeito do imóvel.
A DONA DA CASA
Recapitulando pra quem leu a edição de 12 de junho, quarta-feira, e informando quem não teve acesso a esta edição: a residência da rua Vigário Silva pertence à presidente da República, Dilma Roussef (PT), e acaba de ser tombada provisoriamente pelo Conselho do Patrimônio Histórico e Artístico de Uberaba – Conphau. O tombamento provisório foi aprovado por unanimidade, e agora os conselheiros, através de intermediários, estão consultando a presidente sobre o assunto.
A HISTÓRIA
De acordo com todas as biografias da presidente brasileira, seus pais – o imigrante búlgaro Pedro Rousseff e a professora Dilma Jane da Silva, se conheceram em Uberaba, quando ele esteve na cidade a negócios. Depois de casados, eles se mudaram para Belo Horizonte, onde tiveram três filhos: Igor, Dilma e Zana. Os irmãos visitavam sempre a avó, em Uberaba.

SUGESTÃO
Uberabense com profundo conhecimento sobre a família – mas que não quer se identificar, sugere a leitura do livro A Vida Quer É Coragem – de Ricardo Batista Amaral, editora Sextante, 336 páginas, que narra a trajetória da primeira presidente mulher do Brasil.
Eis o resumo de um trecho do livro, se referindo ao pai de Dilma Rousseff - Pedro:
Ele era bem mais alto fisicamente  e 20 anos mais velho do que a professora Dilma. Era um bom pé de valsa, gostava de jogar baralho no Jockey Club. Na década de 40 Uberaba estava no auge do zebu e recebia forasteiros de todo jeito. Pedro Rousseff não fugiu à regra. Além de ganhar algum dinheiro em Uberaba, também ganhou a namorada e se casaram seis meses depois.

CONTROVÉRSIAS
O livro A Vida Quer É Coragem revela que Dilma Rousseff nasceu dia 14 de dezembro de 1947, em Belo Horizonte – e não em Uberaba, como afirmam algumas biografias.

Luiz Cláudio Campos - eleitor de Aécio Neves até debaixo d´água, defende o tombamento da
casa da adversária Dilma Roussef, que aliás, encontrou-se com Aécio em evento na
ExpoZebu 2013, em Uberaba   (Fotos: Divulgação)
REPERCUSSÃO
A divulgação exclusiva sobre o tombamento histórico da residência, feita pela colunista em Bastidores/Jornal de Uberaba, e CONTA-GOTAS...Notícias, atraiu a atenção de repórteres da imprensa nacional, e ganhou destaque no Facebook – dividindo opiniões entre os favoráveis e os contrários à medida histórica. Entre os apoiadores está – por incrível que pareça!, um adversário do PT e de Dilma Rousseff.
HISTÓRIA...SEM PRECONCEITO
Comenta um dos tucanos mais tucanos entre os tucanos, o engenheiro, ex e provável futuro presidente do PSDB/Uberaba, Luiz Cláudio Campos:
 “Acho que Uberaba está precisando de referência física preservada para contar a história de sua gente, e considero legítimo preservar este imóvel; futuramente ele terá seu papel histórico.”
ADVERSÁRIOS
Até prova em contrário, o PSDB será o principal adversário de Dilma Rousseff nas eleições de 2014, com o senador mineiro tucano Aécio Neves disputando com ela, o cargo de presidente da República.

ESPECIAL
Ainda sobre Dilma Roussef e Uberaba, nesta edição:
***Poema A casa da presidenta, escrito e cedido com exclusividade a CONTA-GOTAS...Notícias por Zé Ninguém – pseudônimo usado por um uberabense com cadeira na Academia de Letras do Triângulo Mineiro, mas que, em várias ocasiões, prefere ser o poeta do povo
*** Artigo A história do pai, escrito pelo jornalista Amauri Segalla, e publicado em 2010 pela revista IstoÉ
--------------------
DE CAMAROTE...
E atenção para as imagens da partida de abertura da Copa das Confederações da Fifa  2013, neste sábado, em Brasília!!! O prefeito Paulo Piau pode aparecer em alguma delas...Pois é. A convite da própria Fifa, ele vai acompanhar ao vivo e em cores o jogo Brasil X Japão, que começa às 16h.

DIA D
Dia do Voluntariado – neste 16 de junho, domingo, no Lar Acolhida São Vicente de Paulo, terá uma manhã recheada de atividades com os internos e visitantes. Objetivo é promover a interação entre eles e atrair novos voluntários. A partir das 9h, na rua da Constituição nº 1.426, bairro Abadia.
AÇÕES
*9h - Abertura do evento ao público
*9h20 – Moda de Viola com Nicodemos e Amigos
*10h25 - Intervalo
*11h10 - Contação de História
*12h20 - Encerramento
_A doação de produtos de limpeza e higiene será bem-vinda


EM REDE
Câmara dos Deputados deve votar dia 25 de junho, uma minirreforma política, já pra valer nas eleições de 2014. Entre outros pontos, o texto preliminar libera o anúncio de pré-candidaturas e o uso de redes sociais e de páginas pessoais dos candidatos no período pré-campanha. A proibição na internet se limitaria a campanhas pagas em sites de conteúdo. Coordenador do grupo de trabalho que analisa as mudanças é o deputado Cândido Vaccarezza (PT/SP).
TEMPO MENOR
O texto da minirreforma eleitoral que será analisado pelo plenário da Câmara dos Deputados também prevê um período menor de campanha. As convenções devem ter início mais perto da data das eleições, entre 15 de julho e 30 de julho. Atualmente, as datas das convenções, que marcam o início das campanhas, vão de 10 a 30 de junho. Para que seja válida já em 2014, a proposta deve ser votada pela Câmara e pelo Senado até 4 de outubro deste ano.
Cine Teatro Vera Cruz retorna às atividades normais, após
um período de adequações em segurança
(Foto: Divulgação)
NOIVOS DO CASAMENTO COMUNITÁRIO ENSAIAM E RECEBEM ORIENTAÇÕES DE PSICÓLOGOS E ASSISTENTES SOCIAIS
Noventa e três casais – um deles, homossexual (formado por duas mulheres), vão encontrar-se dia 17 de junho, segunda-feira, no anfiteatro do Centro Administrativo/Prefeitura de Uberaba, quando receberão orientações sobre a cerimônia conjunta que os aguarda: o Casamento Comunitário 2013.
Neste encontro de segunda-feira, que acontece entre 18h30 e 20h30, os noivos também farão um ensaio para o casamento que vai acontecer dia 21 de junho, às 19h, no Cine Teatro Vera Cruz.
Secretaria de Desenvolvimento Social programa ainda, encontros de fortalecimento de vínculos, que serão realizados nas sedes dos Centros de Referência de Assistência Social, com participação de psicólogos e assistentes sociais.

NOS CONFORMES
Sobre o casamento civil de um casal homossexual, vale lembrar que o Cartório de Registro Civil de Uberaba está em harmonia com o Conselho Nacional de Justiça - CNJ, que baixou portaria determinando que todos os cartórios do Brasil são obrigados a celebrar casamento civil entre pessoas do mesmo sexo. Os cartórios terão de converter as uniões estáveis homoafetivas em casamento civil, mesmo que ainda não haja previsão legal para isso. A proposta foi apresentada pelo presidente do CNJ, ministro Joaquim Barbosa, que também preside o Supremo Tribunal Federal - STF, e aprovada por 14 votos a 1.
RECONHECIMENTO
O reconhecimento de união entre pessoas do mesmo sexo no Brasil - também chamadas de uniões homoafetivas, como entidade familiar, ainda não foi aprovado pelo Congresso Nacional, onde tramita vários projetos sobre o assunto, mas foi declarado possível pelo Supremo Tribunal Federal, em maio de 2011, em julgamento de Ação Direta de Inconstitucionalidade proposta pela Procuradoria-Geral da República. 

O AMOR É LINDO...
As vendas em torno do Dia dos Namorados em Uberaba – 12 de junho, cresceram 4,5% em 2013, em comparação com o mesmo período do ano passado. Informação é do presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas – CDL, Miguel Faria, em balanço divulgado nesta sexta-feira, 14 de junho. Alimentos e bebidas, joias, eletrodomésticos, eletrônicos, entretenimento, cosméticos/perfumes, calçados, moda e acessórios, flores, livros e revistas, artigos esportivos, telefonia móvel, estão entre os presentes mais trocados entre os namorados uberabenses.

Lideranças empresariais chamam políticos para a formatação de uma agenda em prol de Uberaba
O próximo político uberabense a ficar frente a frente com os diretores da Associação Comercial, Industrial e de Serviços de Uberaba – Aciu, para falar sobre seus planos para o desenvolvimento da cidade, será o vice-presidente do Instituto de Desenvolvimento Industrial de Minas Gerais – Indi/MG, Maurício Cecílio (PSDB). Que, por sinal, acaba de ser designado pelo governador e colega de legenda, Antonio Anastasia, para coordenar amplo projeto de investimentos no Estado.
O presidente da Aciu, Manoel Rodrigues Neto, adianta um dos assuntos a serem questionados a Cecílio: a fábrica de amônia prevista para Uberaba.
A LISTA
A entidade já recebeu – após as eleições de 2012, o deputado estadual Antônio Lerin (PSB) – que disputou o 2º turno das eleições majoritárias com o vitorioso Paulo Piau; o deputado federal Aelton Freitas - presidente estadual do PR; o deputado estadual Adelmo Leão (PT) - vice-presidente da Assembleia Legislativa de Minas Gerais, e aguarda a visita do vice-líder do PSD na Câmara, deputado federal Marcos Montes.
Objetivo da Aciu – segundo seu presidente, é promover uma agenda de compromissos em prol de Uberaba.
------------------
------------------
A  CASA  DA  PRESIDENTA
(*) ZÉ  NINGUÉM
Pedro e Dilma dispôis de se conhecê
Formaro um  par e  se casaro
Em Uberaba num quereno  vivê
Pa Belo Horizonte os dois si mudaro
Onde a  filha Dilma veio a nacê

A casa da mãe da presidenta
Numa  rua  conhecida da cidade
Quetinha  e nem aparenta
Que Dilma filha  na flor da  idade
Teve  infância ali nos  ano quarenta

O tempo  dipressa  fôi  passano
Muita  coisa  si  mudificô
Dilminha  pelo mundo andano
A luta  armada  um  dia  abrassô
Em  guerrilheira  foi   transformano

Inquanto  isso  naquela   casinha
Da  Rua Vigário Sirva  noventa
Os querido avós que Dilma tinha
A dor da  saudade eles  infrenta
Pa vê de nôvo a linda netinha

Quanto mais o tempo passava
Os militar  mandano  im  tudo
Mais  Dilma  intão  si  distanciava
Recuída  num  silêncio  mudo
Cadeia  e  tortura  ela  suportava

E  a  casinha  de  Uberaba
Dilma  já  môça  pôcas  vêiz viu
Cum  saudade  qui  nunca  si  acaba
A jove  na  clandestinidade  sumiu
Sem  esquecer as  jabuticaba

Quem  passa  e  vê  aquela  morada
Lê  na  fachada  arguma  história
Sem sabê  qui  ela  foi  abitada
Por  quem  tem seu  nome na  memória
Dilma Roussef a  menina  predestinada

Fico cumigo  suzinho  imaginano
Naquela   rua     sem  si  aquietá
Dilma  com  a  mininada  brincano
De istáuta, passá anéu e pique será
Seus miores  dias  apruveitano

Mesmo  presidenta  ela  seno
Seu  coração  num  fôi  mudado
A  casa  qui  agora  o  pôvo  tá  veno
É a mesma que  guarda  o  passado
Da   mandatária   que  hoje  tamos  teno

Si  pudece eu  conservaria
A casa  da nossa  presidenta
Faria dela uma jóia e  intão  seria
Uma coisa linda qui se apresenta
Ao patrimônio histórico eu a daria.

(*) Poeta A.I.A – Anônimo, Inexistente e Analfabeto, que expressa em versos o que o pensa o povo
-------------------
ESPECIAL DILMA PRESIDENTE
Revista Istoé
1º de novembro de 2010
**********************************
A história do pai
Apaixonado por livros, bom para fazer negócios e comunista, Pedro Rousseff teve forte influência na formação intelectual de sua filha
*Amauri Segalla
Em 1929, o advogado Pétar Russév tomou uma decisão que mudaria a história do Brasil. Deixou a Bulgária, país comandado por uma monarquia fascista e com a economia arrasada por uma crise que se arrastava desde o fim da Primeira Guerra Mundial, para se estabelecer do outro lado do mundo. Desembarcou em Salvador, na Bahia, mas não gostou do que viu. Resolveu partir para Buenos Aires, onde permaneceria por quase uma década. No início dos anos 40 do século passado, instalou-se em São Paulo e começou a empreitar obras para a siderúrgica Mannesmann. Para fazer dinheiro, construía casas por conta própria e as revendia, sempre com bom lucro.
Numa viagem a negócios para Uberaba, em Minas Gerais, conheceu a professora primária Dilma Jane Silva. Apaixonaram-se de imediato, fizeram planos para o futuro e decidiram iniciar nova vida na capital Belo Horizonte.
Não tardou e os filhos vieram. Primeiro, Igor, nascido em janeiro. Depois, Dilma, em dezembro. Por fim, a caçula Zana, em 1951. A essa altura, o búlgaro já tinha alterado o nome para Pedro Rousseff – uma maneira de ao mesmo tempo aportuguesá-lo e sugerir uma ascendência francesa, o que poderia abrir portas na sociedade mineira.
O pai da presidente Dilma Rousseff era um homem resoluto. Ao aportar no Brasil, estabeleceu uma meta: ascender socialmente, algo que não conseguira em sua terra natal. Quando se tornou próspero, dono de uma dúzia de imóveis em Belo Horizonte, definiu outro objetivo: assegurar aos filhos uma educação de qualidade. Os três irmãos sempre estudaram nos melhores colégios de Belo Horizonte e o patriarca da família não aceitava notas que não estivessem entre as melhores da classe. Por decisão do pai, Dilma teve de estudar piano e fazer aulas de francês duas vezes por semana. A casa dos Rousseff sempre estava recheada de livros. Em seu acervo particular, constavam obras de filósofos gregos e poesia francesa. Pedro tinha ambição intelectual. Na Bulgária, frequentava rodas de poetas e foi amigo de Elisaveta Bagriana, um dos principais nomes da literatura do país. Também envolveu-se com política, filiando-se ao Partido Comunista da Bulgária. No Brasil, os negócios ocuparam a maior parte de seu tempo e a política e a literatura acabaram ficando de lado.
Se para a sociedade mineira Pedro fazia questão de se mostrar como uma pessoa séria, merecedora do respeito de seus pares (ele quase nunca era visto sem paletó e gravata e era um sujeito de poucas palavras), no mundo privado tinha gostos que revelam sua alma inquieta. Fumava de forma obsessiva, não economizava nas doses de uísque e apreciava um bom carteado. Fisicamente, era alguém que se impunha com seus quase dois metros de altura. Para a família, sempre demonstrou ser um homem feliz, realizado nos negócios e com uma vida muito melhor do que a que levara na Europa.
Um dos raros motivos de aflição era o búlgaro Luben Russév, filho do primeiro casamento de Pedro com a dona de casa Evdokia Yankova e que nasceu pouco tempo depois que ele veio tentar a sorte no Brasil. Pedro e Luben fizeram um primeiro contato em 1948, por carta apenas. Ao saber das dificuldades financeiras do filho búlgaro, Pedro decidiu enviar dinheiro. Para que a polícia local não percebesse, os dólares eram escondidos entre cartões-postais. Apesar das promessas, ele não conheceu o filho, que morreu em 2007. Pedro morreu em Belo Horizonte, provavelmente de ataque cardíaco, em uma noite de setembro de 1962. A filha Dilma tinha 14 anos.
-----------------



Nenhum comentário:

Postar um comentário