13 de julho de 2013

CONTA-GOTAS...Notícias

Djalma Santos deixa sua marca na Calçada da Fama, no Maracanã
A LENDA DJALMA SANTOS
IMPRENSA NACIONAL ACOMPANHA SAÚDE DO BICAMPEÃO
Internado desde a meia-noite de 1º de julho no Hospital Hélio Angotti – onde chegou com um quadro de insuficiência respiratória aguda e diagnóstico de pneumonia, o bicampeão mundial de futebol Djalma Santos, 84 anos, está sendo acompanhado de perto por uma equipe médica, mas também está na mira de observadores Brasil afora. São os jornalistas esportivos, ou não, que têm feito acompanhamento diário da evolução do quadro do bicampeão.
BOLETINS PROVOCAM EXPECTATIVAS
Os boletins médicos divulgados pela assessoria de imprensa do Hospital Hélio Angotti – acrescidos de informações sobre o bicampeão, ganham destaque em jornais como
Estadão, Folha de S.Paulo, Estado de Minas, O Globo, Correio Braziliense, entre outros, além de dezenas de blogs especializados.
ELE ESCOLHEU UBERABA
Nascido – e registrado Dejalma Santos, no bairro Bom Retiro em São Paulo, o ex-jogador se tornou filho adotivo de Uberaba por iniciativa própria. Há mais de duas décadas fez uma visita aos parentes da ex-esposa – de quem ficou viúvo, e nunca mais foi embora. Há sete anos se casou novamente com Esmeralda, a atual companheira.
BEM DE RUA BOM DE BOLA
(Mais de 4.300 inscritos)
Uberaba também se movimentou pra segurar o bicampeão. Criado pelo ex-prefeito Marcos Montes (PSD) – que exerceu os mandatos 1997/2000 - 2001/agosto de 2004, o Projeto Bem de Rua Bom de Bola foi entregue ao comando de Djalma Santos. Em pouco tempo, ele tinha mais de 4.300 crianças/adolescentes inscritos na escolinha de futebol. Concluídos os dois mandatos de MM, o bicampeão foi “descartado” pelo sucessor, Anderson Adauto (sem partido), e abrigado, na época, pelo então governador de Minas Gerais, Aécio Neves (PSDB), hoje senador e pré-candidato a presidente da República.
GAROTO-PROPAGANDA
Já em 2013 - em tempos de reabertura do Maracanã, o prefeito Paulo Piau (PMDB) nomeou o bicampeão mundial de futebol para um cargo na Secretaria Municipal de Planejamento. Djalma Santos retorna, agora, ao governo municipal, com a incumbência de ser uma espécie de garoto-propaganda de Uberaba.
OTIMISMO
Até o fechamento desta edição de Conta-Gotas...Notícias, na tarde/noite de sábado, 13 de julho, Djalma Santos continuava internado em um quarto do Hospital Hélio Angotti, sob observação dos médicos, e se recuperando bem. Nenhum boletim médico foi liberado sexta-feira e sábado, já que não houve alteração no quadro – segundo informação do assessor de imprensa, Paulo Ferreira. De acordo com ele, a pedido da família, o hospital está evitando visitas.
Também até o fechamento da edição desta coluna, a médica Ivone Leboreiro – Cardiologista/Clínica Médica/Unidade de Terapia Intensiva, demonstrava otimismo. Disse que Djalma está estável, conversando, reconhecendo o ambiente, e com possibilidade de voltar para casa assim que esta estabilidade realmente se confirmar.
Vale lembrar que o bicampeão chegou a sair da UTI, mas retornou após uma perda de consciência. Mas, melhorou e voltou para o quarto.
AGRADECIMENTOS
O próprio ex-jogador, por meio de nota que assinou em conjunto com sua família, festejou o restabelecimento gradativo de sua saúde. "Djalma Santos e família agradecem a todos aqueles que, mesmo à distância, torceram pela sua recuperação. Agradecemos à cidade de Uberaba, seus representantes e, especialmente, a toda equipe do Hospital Dr. Hélio Angotti pelo apoio, dedicação e carinho com que estamos sendo tratados", escreveu.

A LENDA
(Versão 1)
A morte do ator e humorista Chico Anysio, em março de 2012, levou o Correio Braziliense a republicar uma entrevista - concedida por ele em 2010, em que Chico, um apaixonado por futebol, “elegeu” a sua Seleção Brasileira de todos os tempos.
_ Djalma Santos, Taffarel, Domingos da Guia, Luis Pereira, Nilton Santos. No meio, Falcão, Zito, Dequinha e Zizinho. No ataque, Garrincha e Pelé.

A LENDA
(Versão 2)
Djalma Santos teve o nome gravado na Calçada da Fama do Maracanã em 2000, e, em 2010, deixou as marcas dos pé. Ele jogou a primeira partida oficial do Maracanã em junho de 1950, em confronto entre São Paulo e Rio de Janeiro que terminou com vitória paulista por 3 a 1.

A LENDA
(Versão 3)
Djalma Santos disputou 114 jogos pela seleção brasileira. Ele foi convocado em quatro edições consecutivas de Copas do Mundo, participando dos Mundiais de 1954, 1958, 1962 e 1966. No primeiro título brasileiro, em 1958, Djalma jogou apenas a final, mas foi escolhido como o melhor lateral-direito da Copa.

A LENDA
(Versão 4)
Recentemente, o Palmeiras entrou em campo com uma mensagem de apoio a Djalma Santos, ídolo do clube. A faixa mostrava a mensagem #forzadjalmasantos. A frase estava escrita também na camisa dos alviverdes, na vitória por 4 a 0 sobre o Oeste.
O ex-lateral – considerado o maior do mundo, jogou 498 vezes pelo Palmeiras. É o sétimo jogador que mais vestiu a camisa do palestra, quando conquistou o Campeonato Paulista  em 1959, 1963 e 1966; os Brasileiros de 1960 e 1967 e a Taça Brasil de 1967, torneios que classificam para a Libertadores da América, e, além disso, venceu o Torneio Rio-São Paulo em 1965.

A LENDA
(Versão 5)
Ano
   Competição
  Equipe
1951
  Fita Azul
  Portuguesa
1952
  Campeonato Pan-americano de Futebol
  Seleção Brasileira
1952
  Torneio Rio-São Paulo
  Portuguesa
1953
  Fita Azul
  Portuguesa
1955
  Taça Oswaldo Cruz
  Seleção Brasileira
1955
  Torneio Rio-São Paulo
  Portuguesa
1957
  Copa Roca
  Seleção Brasileira
1958
  Copa do Mundo
  Seleção Brasileira
1959
  Campeonato Paulista
  Palmeiras
1959
  Taça Bernardo O’Higgins
  Seleção Brasileira
1960
  Copa Roca
  Seleção Brasileira
1960
  Taça Brasil
  Palmeiras
1962
  Taça Oswaldo Cruz
  Seleção Brasileira
1962
  Copa do Mundo
  Seleção Brasileira
1963
  Copa Roca
  Seleção Brasileira
1963
  Campeonato Paulista
  Palmeiras
1965
  Torneio  Rio-São Paulo
  Palmeiras
1966
  Campeonato Paulista
  Palmeiras
1967
  Torneio Roberto Gomes Pedrosa
  Palmeiras
1967
  Taça Brasil
  Palmeiras
1970
  Campeonato Paranaense
  Atlético-PR

-----------------
Vacinação contra gripe suína chega aos bairros Valim de Melo, Morumbi e Maracanã
Vacinação contra o vírus Influenza H1N1 e H3N2 – também conhecido por gripe A e gripe suína, acontece nesta quarta-feira, 17 de julho, nos bairros Valim de Melo, Morumbi e Maracanã.
Trata-se do prosseguimento da campanha com as 30 mil vacinas adquiridas diretamente pela Prefeitura de Uberaba – única cidade de Minas Gerais até agora, a comprar o medicamento com recursos próprios.
As vacinas - com seringas e agulhas, custaram R$ 750 mil aos cofres municipais.
A vacinação já aconteceu em unidades de saúde localizadas nos bairros Abadia, Volta Grande, Boa Vista, Parque São Geraldo/Abadia, Alfredo Freire e Mercês, e na zona rural.
Estão sendo vacinados: idosos, crianças de 6 meses até 4 anos 11 meses e 29 dias, e doentes crônicos (comorbidade) com comprovação médica.
Vacinação vai acontecer das 8h às 17h, nos seguintes endereços:
Bairro Valim de Melo
Unidade de Saúde Álvaro Guaritá
Avenida Umuarama, 520
Bairro Morumbi
Unidade de Saúde Dr. Romes Cecílio
Rua Orlando Rodrigues da Silva, 520
Jardim Maracanã
Unidade de Saúde Virlânia Augusta de Lima
Rua Ivan Donizete Carvalho, 26 
 -------------
SENADO APROVA NOVAS REGRAS QUE PODEM IMPULSIONAR ZONA DE PROCESSAMENTO DE EXPORTAÇÃO DE UBERABA
Com essa mudança, a ZPE de Uberaba, que nasceu depois de três anos de luta, passa a ser um dos mais valiosos diamantes desta terra das Gerais, comemora o ex-secretário de Desenvolvimento Econômico, Carlos Assis


O condomínio ZPE/Uberaba fica localizado junto à BR/050, numa área de dois milhões de metros
quadrados, abrindo o entroncamento rodoferroviário que serve ao Distrito Industrial II, próximo ao
Parque Tecnológico. Uberaba foi a primeira cidade a apresentar projeto após decreto do
governo federal, regulamentando as ZPE´s.   (Foto/arte: Prefeitura de Uberaba)
Enquanto as lideranças políticas e empresariais de Uberaba se movimentam para derrubar barreiras e agilizar os megaprojetos da planta de amônia e do gasoduto, o Senado Federal dá uma força na viabilização de um outro grande empreendimento. Acaba de aprovar novas regras para as Zonas de Processamento de Exportação – ZPE´s.  
A proposta – que segue agora, para a Câmara dos Deputados, reduz de 80% para 60% o mínimo de receita bruta vinda de exportações, admitindo 50% para desenvolvedores de softwares ou prestadores de serviço de tecnologia da informação.
ISENÇÃO DE TRIBUTOS
O objetivo da proposta é impulsionar as ZPE´s, criadas para reduzir desequilíbrios regionais e melhorar a posição do país no comércio exterior. São áreas de livre comércio com o exterior, destinadas à instalação de empresas voltadas para a produção de bens e serviços a serem comercializados em outros países. As empresas recebem tratamento tributário específico, com isenções. 
ZPE/UBERABA
Zona de Processamento de Exportação de Uberaba foi aprovada em março de 2012 pelo Conselho Nacional das Zonas de Processamento de Exportação – CZPE, e poucos meses depois, foi confirmada em decreto da presidente Dilma Rousseff (PT). Além de carnes e da produção de óleo de soja, expectativa do governo federal é de atrair, ainda, no caso da ZPE de Uberaba, investimentos das áreas sucroalcooleira, couro, produtos lácteos, moveleira, químicos e cosméticos.
CONCORRÊNCIA DESERTA
As dificuldades impostas pela legislação, inclusive a exigência de exportação de 80% do que é produzido, esvaziaram a concorrência pública 28/2012, aberta pela administração passada para atrair interessados em participar da implantação. Nenhuma empresa ou consórcio se apresentou para construir e administrar o empreendimento. Alguns empresários chegaram a manifestar interesse, em conversas extraoficiais com representantes da Prefeitura de Uberaba. Entretanto, ignoraram a concorrência para cessão de ações da companhia administradora.
EXPORTAÇÕES --- De acordo com os últimos indicativos oficiais – que são de 2010, as principais exportações de Uberaba, naquele ano, foram para o Iraque, Egito, Argentina, México e China.
IMPORTANTE!
Uberaba não é exceção nas dificuldades. Apesar de movimentarem bilhões de dólares no mundo, as ZPE´s não saíram do papel no Brasil. Das 24 zonas que receberam autorização para funcionamento nos últimos anos, não há nenhuma em funcionamento.
 ------------
Você sabia?
EXISTE O “DIA DO ESTADO DE MINAS GERAIS”

Lei nº 7.561, de 19.08.1979
Institui o “Dia do Estado de Minas Gerais”.
O Povo do Estado de Minas Gerais, por seus representantes , decretou e eu, em seu nome, sanciono a seguinte Lei:
Artigo 1º- Fica instituído, no Estado de Minas Gerais, o “Dia do Estado de Minas Gerais”, a ser comemorado anualmente na data de 16 de julho.
Parágrafo único – O Poder Público promoverá reuniões e solenidades cívicas alusivas à data a que se refere o artigo, nas quais deverão ser realçadas as tradições sócio-culturais de Minas Gerais.
Artigo 2º - Esta Lei entra em vigor na data de sua publicação.
Mando, portanto, a todas as autoridades, a quem o conhecimento e execução desta Lei pertencer, que a cumpram e façam cumprir, tão inteiramente como nela se contém.
Dada no Palácio da Liberdade, em Belo Horizonte, aos 19 de outubro de 1979.
Francelino Pereira
Governador

Constituição do Estado
Título V
Disposições Gerais
Artigo 256 – É considerada data cívica o Dia do Estado de Minas Gerais, celebrada anualmente em 16 de julho.
§ 1º - A semana em que recair o dia 16 de julho constitui período de celebração cívica em todo o território mineiro, sob a denominação de Semana de Minas.
§ 2º - A Capital do Estado será transferida no Dia do Estado de Minas Gerais.
Palácio da Inconfidência
21 de setembro de 1989
OBS.: A contribuição é do pedagogo formado pela Universidade Federal de Uberlândia - UFU, e auxiliar de biblioteca na Prefeitura de Uberaba, Daniel Magalhães
---------------
BALANÇO --- As manifestações que ocuparam as ruas do país até agora, conseguiram revogar o aumento das tarifas do transporte coletivo em mais de 100 cidades. Em Uberaba – onde só parte do reajuste foi revogada, a luta continua...

CORRUPÇÃO --- De autoria do Senado e já aprovado pelos senadores, entra na pauta de votação da Câmara dos Deputados, para os próximos dias, o projeto de lei que considera hediondos vários crimes contra a administração pública, como corrupção, peculato ou concussão. Além de aumentar as penas e prever punições maiores para integrantes do Executivo, do Legislativo e do Judiciário que cometerem o delito, o projeto acaba com a possibilidade de anistia, graça, indulto ou liberdade sob pagamento de fiança para os condenados. Também fica mais rigoroso o acesso a benefícios como livramento condicional e progressão de regime.
RECLUSÃO --- Conforme a proposta, os crimes listados acima passam a ter pena de reclusão, de 4 a 12 anos, e multa. Em todos os casos, a pena é aumentada em até 1/3 se o crime for cometido por agente político ou ocupante de cargo efetivo de carreira de Estado. Atualmente, o Código Penal prevê reclusão de 2 a 12 anos e multa para os delitos de corrupção ativa e passiva e de peculato. Para concussão, a pena vigente hoje é reclusão de 2 a 8 anos e multa. Já o excesso de exação, no caso incluído na proposta, é punido hoje com reclusão de 2 a 12 anos e multa.
HOMICÍDIOS --- Apresentada pelo senador Pedro Taques (PDT/MT), o texto que chegou à Câmara inclui ainda o homicídio simples – que hoje tem pena de reclusão de 6 a 20 anos, na lista de crimes hediondos. Atualmente, só são considerados hediondos o homicídio praticado por grupo de extermínio e o qualificado.
MINIRREFORMA --- Também estão na pauta da Câmara, entre outros, os projetos da deputada Elcione Barbalho (PMDB/PA), que estipula normas gerais de segurança em casas de espetáculos e similares; e do Senado, que concede aposentadoria especial aos garçons; do deputado Ilário Marques (PT/CE) e outros, que muda diversos pontos das leis eleitorais (minirreforma eleitoral)...
FUNÇÃO SOCIAL --- E ainda: o projeto do deputado Geraldo Resende (PMDB/MS), que obriga os recém-formados em várias áreas das Ciências da Saúde a prestarem serviços remunerados em comunidades carentes de profissionais se seus cursos forem custeados com recursos públicos...

DOMINGO TEVE ELEIÇÃO
Dez representantes do sexo feminino venceram as duas fases anteriores – prova escrita e entrevista técnica, e disputaram domingo, 14 de julho, as cinco vagas do Conselho Tutelar 1 dos Direitos da Criança e do Adolescente de Uberaba. O voto foi direto e secreto, e 212.275 eleitores tiveram direito a votar. 
Foram candidatas: Amanda Prata da Silva, Kárita Fedrigo de Melo, Elci Maria de Jesus Nunes, Julieny Carvalho Soares, Shamara Lopez Arantes Ribeiro, Rafaela Silva Borges Cury, Mônica Nelly Desllane Silva Rodrigues, Virgínia Helena de Souza, Leide Lea Rodrigues da Cunha Pádua e Cristiane Alves de Oliveira.

FIM DA POLÊMICA --- Lei da Ficha Limpa, aprovada em Uberaba – e que tem gerado muita polêmica, está prestes a se tornar inócua. É que tudo indica que a Câmara dos Deputados vai confirmar a aprovação já ocorrida no Senado, do projeto que exige ficha limpa para o ingresso no serviço público - seja em emprego, cargo efetivo ou cargo comissionado. A medida valerá para os poderes Executivo, Judiciário e Legislativo e nas esferas federal, estadual e municipal.

O SOL POR TESTEMUNHA ---- Porta-Voz – jornal oficial/virtual do município, agora será colocado no ar ainda com o sol ardendo...Apesar da lei que prevê a publicação até meio-dia, o jornal só estava chegando ao conhecimento público depois das 22h de quarta-feira e sexta-feira. A “mania” foi adotada durante a administração de Anderson Adauto (sem partido), e vinha sendo adotada pelo atual governo. A ordem agora, é cumprir a lei.

CEMIG NA UAI
População de Uberaba tem novo local para solicitar serviços da Companhia Energética de Minas Gerais - Cemig. Trata-se da Unidade de Atendimento Integrado – UAI, da cidade, localizada na avenida Santa Beatriz, 1.880. Entre os atendimentos estão: mudança do dia de vencimento da conta; atualização de endereço para  entrega da fatura; encerramento contratual; falta de energia; informação de contas a pagar; poda de árvore; segunda via de conta; religação; cadastramento de baixa renda.

CONCORRÊNCIA
Difícil saber quem fez mais sucesso no lançamento do site do vereador e presidente do PRB/Jovem de Minas Gerais, Franco Cartafina: se foi ele ou o Franquinho - o mascote que convida o internauta para entrar no site. Vale conferir:www.francocartafina.com.br.

DOSE DUPLA
O voto secreto nas casas legislativas – Congresso, Assembleias e Câmaras Municipais, é tema de pesquisa que o aluno do 8º período de Direito da Universidade de Uberaba – Uniube, e 1º período de História na Universidade Federal do Triângulo Mineiro – UFTM, Guilherme Gonzaga Bento, está colocando no papel, sob a coordenação do constitucionalista André Del Negri, professor da Uniube, e que também trabalha o assunto em seu doutoramento na Pontifícia Universidade Católica - PUC/MG.
MUNDO NOVO
A pesquisa de Guilherme Bento é realizada pelo Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica – Pibic, financiado pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico – CNPq, para apoiar a política de iniciação científica desenvolvida nas instituições de ensino e/ou pesquisa, por meio da concessão de bolsas de estudantes de graduação integrados na pesquisa científica. E acontece num momento histórico do país, em que, sob pressão das manifestações populares, as casas legislativas procuram adotar medidas consideradas politicamente corretas – tipo, por exemplo, a abertura das votações.

SEIS ANOS DEPOIS...
Mas, justiça seja feita: o que está sendo comemorado como novidade e ineditismo na Assembleia Legislativa de Minas Gerais, em Uberaba já virou Curiosidade Histórica: o fim do voto secreto. Aprovada em 2006, a iniciativa levou as assinaturas dos então vereadores Tony Carlos (PMDB), Marilda Ribeiro Resende (PT) e ainda de Marcelo Borges (na época do PMDB) – que assinou a proposta antes de deixar a Câmara onde ocupou cadeira por alguns meses. Tony (líder do governo) e Marcelo (hoje filiado ao DEM) integram a legislatura 20013/2016, enquanto Marilda é a subsecretária Municipal de Educação e Cultura.
XÔ, VOTO SECRETO!
E desde 2006, portanto, o voto secreto está extinto da Câmara de Uberaba. Em eleições de mesa diretora; vetos do prefeito; julgamento de vereadores (processos de perda de mandato), enfim, sem qualquer prejuízo para as articulações de bastidores de praxe, os vereadores de Uberaba expõem seus votos e os motivos, sem subterfúgios. 
CONTROVÉRSIAS
Vale lembrar que em 2006 Tony Carlos era presidente da Câmara, enquanto Marilda era a vice-presidente. Os dois colocaram a matéria em votação mesmo enfrentando oposições internas e externas. Exemplo foi o então prefeito Anderson Adauto - então aliado de Tony, que chegou a conceder entrevistas contra a ideia, e defendendo o voto secreto em pelo menos algumas propostas.
EXPERIÊNCIA
E agora – quase seis anos depois, a Assembleia de Minas Gerais aprovou o fim do voto secreto nas deliberações da Casa e a determinação de que as votações sejam nominais (individuais e registradas por cada deputado no painel eletrônico) para a maioria das proposições. E vai aqui, mais uma puxadinha pra Uberaba: entre os membros da atual mesa diretora da Assembleia está o deputado estadual Adelmo Leão (PT).

NOVA DATA
Abertura de inscrições para o Festival de Música de Uberaba foi transferida para o dia 15 de julho – segundo informação dos organizadores. Inicialmente, as inscrições seriam abertas ontem... O festival promovido por Vinícius Oliveira, Caio Presotto e Edvaldo Cardoso pode ganhar o apoio da Fundação Cultural de Uberaba, dependendo do resultado de reunião convocada pela entidade, para dia 15. A presidente Sumayra Oliveira revelou que a Fundação Cultural tem um festival programado para novembro. Mas admite: “Se celebrarmos a parceria e apoio, não iremos realizar este evento”.

OLIMPÍADA EVANGÉLICA
Conselho de Jovens Evangélicos de Uberaba e a Prefeitura de Uberaba abrem nesta segunda-feira, 15 de julho, a XV Olimpíada Evangélica. Solenidade acontece às 19h, no Ginásio do Jockey Club (Centro). Último censo do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE, indicou que 59.024 uberabenses disseram que são evangélicos, sendo 21.113 de origem pentecostal. Outros exemplos: 4.380 disseram que são evangélicos de missão; 217 se declararam luteranos; 1.456 são presbiterianos; 624 são metodistas; 1.442 são da igreja batista; 640 da igreja adventista.
-----------------
ESPECIAL
Entidades de classe de Uberaba fazem revelações e declaram amor a Uberaba
Nestes tempos atuais, em que a individualidade ganha cada vez mais força, as entidades de classe desempenham um papel importante no sentido oposto. Através delas, pode-se até sonhar com um mundo melhor – em que o espírito associativista suplante o individualismo e consiga, desta forma, criar condições favoráveis para a vitória da cidadania, do coletivo, da esperança.
Com seus 302.623 habitantes – segundo estimativa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o município de Uberaba é extremamente rico em associativismo, seja patronal ou de empregados.
Uma riqueza que foi exposta em Caderno Especial  divulgado pelo Jornal de Uberaba na edição de 6 de julho, sábado.
Além da defesa intransigente dos seus associados ou representados, todas as entidades – sem exceção, reconhecem e se orgulham de serem co-partícipes do desenvolvimento de Uberaba.
E vale lembrar que o desenvolvimento do município implica no desenvolvimento do seu povo – empregados e patrões.
Com certeza, este foi um Caderno Especial muito ESPECIAL.
Por isso, estou repercutindo em CONTA-GOTAS...Notícias as entrevistas que tiveram minha participação como jornalista.
A coordenação foi de Luciana Vitali e a diagramação/arte final, de Ana Keila.
-------------

CADERNO ESPECIAL JU
Entidades classistas de Uberaba
*Sindicato dos Bancários de Uberaba e Região
(Entrevista: Assessoria de imprensa/Anízio Bragança)

Bancários são modelo de mobilização e cidadania
Pesquisa revela que 20% dos bancários tomam medicação, 16% já se afastaram por doença e apenas 2,5% são negros
Maurício de Souza
Presidente do Sindicato dos Bancários de Uberaba e Região, Maurício de Sousa, diz que os bancários são a única categoria unificada no Brasil, e que têm cumprido um papel importante no cenário dos trabalhadores. “De suas deliberações e lutas nasce boa parte das reivindicações das demais categorias do país” – afirma ele.
Maurício de Sousa, explica que houve uma série de experiências bem sucedidas ao longo da história que permitiram uma organização estruturada e vitoriosa no cenário nacional.
Procuramos assumir os desafios nacionais fazendo a extensão para a nossa região. O trabalho não se restringe a salários, mas uma luta concreta por direitos sociais e de cidadania”, explicou o dirigente sindical em entrevista ao Caderno Especial, divulgado dia 6 de julho, sábado, pelo Jornal de Uberaba. Confira a íntegra da entrevista.
JU – Por que os bancários são considerados “vanguarda” no movimento sindical brasileiro? 
Maurício de Sousa – Somos a única categoria unificada do país, com uma organização nacional amplamente democrática, com forte poder de mobilização e negociação. Temos garantido conquistas históricas e ampliado as discussões e reivindicações no campo social.
JU – Quais são estas conquistas? 
Maurício de Sousa –Ainda nas primeiras décadas do século XX conquistamos a jornada de seis horas diárias, tivemos a unificação do piso salarial em 1991 e primeira convenção coletiva unificada em 1992. Depois, vieram o vale-alimentação, participação nos lucros e resultados (PLR), entre outros.
JU – E quais conquistas no campo social tornaram exemplo para outras categorias? 
Maurício de Sousa – Complementação salarial para afastados por doença, verba para requalificação profissional na demissão, Implantação de programa de prevenção da LER/Dort, políticas de igualdade de oportunidades, licença-maternidade de 180 dias, inclusão de parceiros do mesmo sexo nos planos de saúde, entre outros. Todos integrantes de nossa Convenção Coletiva de Trabalho.
JU – Mas então, a Convenção Coletiva dos Bancários é uma das mais completas do país? 
Maurício de Sousa – Nossa Convenção Coletiva completou 20 anos e realmente é o grande patrimônio da categoria, construída com muita luta e suor por várias gerações.
JU – E como o Sindicato dos Bancários amplia essas conquistas em Uberaba e região? 
Maurício de Sousa – Estamos sintonizados com o desenvolvimento social de momento no Brasil. Nas últimas décadas fomos protagonistas nas leis da fila e obrigação de equipamentos de segurança nos bancos, da campanha de cidadania ainda na época do Betinho, entre outras ações.
JU – O Sindicato foi contra a venda dos bancos públicos?
Maurício de Sousa – Fomos a resistência da entrega dos bancos públicos (Bemge, Credireal, Banespa, Banestado) porque já sabíamos do prejuízo da falta de crédito para a sociedade e das demissões de trabalhadores. Cada fusão ou aquisição significa a eliminação de dezenas de postos de trabalho em Uberaba e região.
JU – Como os bancos agem hoje? 
Maurício de Sousa – Estamos denunciando permanentemente a política dos bancos. Os bancos são os que mais lucram do Brasil. Enquanto o Brasil cresce e emprega, os bancos não param de demitir. É um absurdo esta postura na contramão do Brasil. Até mesmo os bancos estrangeiros têm essa postura aqui, mesmo agindo diferente no país de origem.
JU – E a política de metas está trazendo consequências?
Maurício de Sousa – Um grande adoecimento da categoria. Temos uma pesquisa saindo do forno em Uberaba e região feita com quase 500 bancários. Quase 20% deles afirmam tomar medicação e 16% já se afastaram por problemas de saúde. E ainda é grande o número de bancários que têm medo (perder o emprego) de manifestar o problema.
JU – O que mais a pesquisa detectou? 
Maurício de Sousa – Quase 85% dos bancários locais são brancos, com apenas 2,5% de negros e 12% pardos. Ora, a maioria da população é negra ou parda. Os bancos discriminam. Então buscamos fazer um debate social sobre esses temas todos, sem esquecer a questão econômica que envolve a categoria. 

CADERNO ESPECIAL JU
Entidades classistas de Uberaba
*Sindicato dos Institutos de Beleza, Salões de Cabeleireiros e Profissionais Autônomos da Área de Beleza do Triângulo Mineiro e Alto Paranaíba
(Entrevista: Giselda Campos)

2.000 PROFISSIONAIS DA BELEZA PARTICIPAM DO DESENVOLVIMENTO DE UBERABA
João Barbosa
Aos 49 anos de idade – 26 deles na profissão de cabeleireiro, o presidente do Sindicato dos Institutos de Beleza, Salões de Cabeleireiros e Profissionais Autônomos da Área de Beleza do Triângulo Mineiro e Alto Paranaíba, João Barbosa de Siqueira Filho, trabalha para que Uberaba seja a sede da futura federação mineira dos sindicatos da categoria.
Nossa federação vai nascer com oito sindicatos” – comemora ele, após ajudar na fundação dos sindicatos em Araxá, Patos de Minas e Ituiutaba.
Estes três sindicatos, que estão em fase final de registro, vão juntar-se aos já veteranos de Juiz de Fora, Belo Horizonte, Contagem e Uberaba, e ao que está prestes a surgir em Patrocínio.
Ele lembra que a vizinha Uberlândia está automaticamente incluída no processo, já que pertence ao sindicato regional com base em Uberaba. O sindicato tem, inclusive, um escritório naquela cidade.
João Barbosa encabeça toda esta movimentação e reflete: “O sindicato/Uberaba é o representante da categoria mais organizado em Minas Gerais, e queremos crescer muito ainda”.
PROFISSIONAIS
Só em Uberaba – segundo ele, existem hoje, cerca de 2.000 profissionais – entre patrões e empregados, atuando no setor, e portanto, contribuindo com o desenvolvimento do município. “É um universo significativo e digno de muito respeito” – avalia o presidente.
Do total, 350 estabelecimentos são filiados ao Sindicato dos Institutos de Beleza, Salões de Cabeleireiros e Profissionais Autônomos da Área de Beleza do Triângulo Mineiro e Alto Paranaíba.
Com escritório localizado na avenida Leopoldino de Oliveira, 3.515, centro da cidade, o sindicato baseado em Uberaba oferece uma série de benefícios aos associados, incluindo uma área de lazer em sede própria, cursos de qualificação e descontos em planos de saúde médico e odontológico.
Objetivo da entidade é, acima de tudo, traduzir os anseios da classe” – diz o presidente.
ATENDIMENTO
João Barbosa revela que vem aí, o Cartão Saúde e Beleza – programa destinado aos associados e dependentes, e que está em fase adiantada de criação.
Segundo ele, através do cartão especial, os profissionais terão acesso a atendimento médico e odontológico – que será implantado na sede do sindicato, além da ampliação nos planos de saúde médico e odontológico, e a uma rede de atendimento em saúde, que incluirá laboratórios.

CADERNO ESPECIAL JU
Entidades classistas de Uberaba
*Sindicato dos Contabilistas de Uberaba
(Entrevista: Giselda Campos)

Sindicato dos Contabilistas de Uberaba investe no fortalecimento da categoria e na preparação de jovens carentes para o 1º emprego
Mauro Sérgio
Sindicato dos Contabilistas de Uberaba tem se destacado por uma série de ações, entre elas, na busca do fortalecimento e capacitação da categoria para um mercado que se torna cada vez mais exigente, e na preparação de adolescentes de baixa renda para o primeiro emprego. O presidente do Sindcont - que também é vice-presidente de Comunicação e Marketing da Federação dos Contabilistas de Minas Gerais, Mauro Sérgio de Melo, diz que o ideal ainda está por vir, mas já comemora o sucesso dos projetos em relação, principalmente, aos coirmãos sindicatos de outros centros. Veja a entrevista.
JU – Recentemente o Sindicato dos Contabilistas de Uberaba promoveu um curso gratuito de capacitação do menor para o 1º emprego. O que propõe a entidade, com ações como esta – voltadas para famílias de baixa renda?
Mauro Sérgio de Melo – O Sindcont Uberaba tem preocupação com o social e faz questão de contribuir para que a comunidade alcance melhoria na qualidade de vida. O projeto nasceu em 2013 e já é um sucesso. Estamos com quase 700 jovens de 13 a 18 anos inscritos para participarem dos cursos, que são contínuos e destinados aos alunos das escolas públicas municipais e estaduais. Estamos oferecendo os cursos gratuitamente, com ônibus de ida e volta, coffee break, certificado, e formatando um banco de dados com currículos deste jovens a fim de inseri-los no mercado de trabalho, através do primeiro emprego.
JU – Está mais fácil ou mais difícil atrair profissionais da Contabilidade? Em Uberaba, as escolas ajudam? A quantas anda a empregabilidade no setor?
Mauro Sérgio de Melo – Não temos mão-de-obra especializada na nossa cidade para atender à demanda do nosso mercado de trabalho. Quando precisamos de um profissional com larga experiência, temos que disputar quem já está empregado e em busca de melhorias de condições e salários. As nossas escolas ajudam sim, mas os alunos não podem ficar só no conhecimento que é dado através do histórico escolar. O mercado de trabalho tem ficado cada vez mais exigente, e os interessados numa boa vaga de emprego precisam investir em cursos de qualificação. A prática também é muito importante. Esta carência de mão-de-obra é um dos motivos de estarmos investindo na preparação para o primeiro emprego. Hoje, temos de contratar iniciantes e formá-los para serem bons profissionais.
JU – O que o senhor espera das manifestações/protestos que ganharam as ruas do Brasil? Elas terão impacto na questão tributária?
Mauro Sérgio de Melo – Sou favorável, desde que sejam pacíficas e foquem no verdadeiro intuito, que é o protesto por melhores condições para a população. Quanto à questão tributária, acredito que haverá mudanças sim, pois o governo está abrindo as pernas com estas manifestações, pensando na reeleição no ano que vem. O problema é que não está fazendo as contas, e quem vai pagar a fatura seremos nós mesmos.
JU – O que deveria mudar, na sua opinião?
Mauro Sérgio de Melo – O governo e a leis brasileiras precisam inverter uma série de fatos. A impunidade que beneficia os corruptos é uma aberração. Hoje, a polícia está sem condições para impor e promover a segurança pública, enquanto os infratores possuem verdadeiras organizações para protegê-los. Um presidiário tem direito a fazer faculdade na cadeia, mas o governo não pode oferecer uma faculdade para os professores. O salário mínimo nacional é de R$ 678, enquanto o auxílio-reclusão é de R$ 971,78. Os benefícios concedidos pelo governo estão provocando uma situação dramática. Tive uma experiência com um cliente que contratou um caseiro e quando pediu os documentos dele para fazer o registro em carteira, ele abandonou o serviço, dizendo que não poderia ser registrado, pois iria perder os benefícios concedidos pelo atual governo, e que compensaria mais ele ficar desempregado. 
JU – Contabilistas de Uberaba respondem positivamente aos apelos de associação? O que o Sindicato dos Contabilistas tem feito para convencer os profissionais da importância de se unirem?
Mauro Sérgio de Melo – Apesar de ainda estarmos longe do ideal, Uberaba é hoje modelo para os demais sindicatos de Minas Gerais. Em termos de percentual de participação, estamos muito à frente em número de associados. Temos atualmente, cerca de 1.200 profissionais com registro no CRC/MG – Conselho Regional de Contabilidade de Minas Gerais, e 140 associados, mas a nossa vizinha Uberlândia possui o dobro de inscritos e o sindicato não tem 200 associados. Nossa luta em Uberaba, no momento atual, é fazermos  com que estes 140 associados participem dos nossos eventos, e se  aproximem cada vez mais, do sindicato. Juntos, temos mais força para buscarmos a valorização e reconhecimento da nossa classe. Também estamos investindo na realização de cursos que visam à reciclagem e atualização dos profissionais.
JU – Como está funcionando em Uberaba a medida que obriga os empresários a divulgarem os custos dos impostos sobre os produtos que comercializam?
Mauro Sérgio de Melo – A medida foi  prorrogada em 12 meses e será cobrada a partir de junho de 2014, o que vem a calhar. As empresas não estavam preparadas para cumprir esta nova obrigação. Estamos orientando os nossos clientes para não deixarem para a última hora. Agora, dia 26 de junho, promovemos uma reunião no sindicato para que equipes da Secretaria de Estado da Fazenda e do Programa de Defesa do Consumidor, o Procon, orientassem os contabilistas com relação a este assunto. Teremos outros encontros com este objetivo.
JU – Que perfil de contabilista o mercado tem exigido nos tempos atuais?
Mauro Sérgio de Melo – Temos dois mercados para trabalhar: o dos empresários que ainda acham que a Contabilidade é somente para atender às exigências do fisco, e daqueles que têm visão de futuro e já descobriram que a Contabilidade pode ser usada como uma ferramenta gerencial, que pode, inclusive, funcionar como um controle interno. As empresas que investem numa Contabilidade séria têm o patrimônio melhor protegido. E trabalhar para estas empresas é muito gratificante e rentável.

CADERNO ESPECIAL JU
Entidades classistas de Uberaba
*Associação Brasileira de Odontologia/ABO
(Entrevista: Giselda Campos)

ABO/UBERABA É DESTAQUE NACIONAL POR
SUA ATUAÇÃO CLASSISTA E CIENTÍFICA
Ricardo Coelho
Com cerca de 1.100 profissionais em atividade em Uberaba – mais de 400 deles com filiação na entidade, a Associação Brasileira de Odontologia/ABO se orgulha de sua própria história e da sua participação no desenvolvimento do município.
Afirmação é do presidente Ricardo de Oliveira Coelho (gestão 2012/2013), atribuindo a todas as diretorias até agora, os avanços conquistados na ABO/Subseção de Uberaba.
Ao longo destes anos, foram criadas condições propícias para a união, legalização, capacitação, respeitabilidade e reconhecimento da classe profissional odontológica, tornando-a uma associação que tem atuado com pioneirismo e liderança” – diz ele.
Ricardo Coelho cita como exemplo de avanço – tanto para a categoria, quanto para a ABO e para Uberaba, a instalação da Escola de Aperfeiçoamento Profissional – EAP, que promove cursos de especialização, atualização e aperfeiçoamento, atraindo profissionais/alunos de todos os cantos do país pela qualidade que oferece.
Além disso, ele lembra que a EAP tem uma função social importante, já que oferece atendimento à população, na sede da ABO, a valores acessíveis.
Outro marco citado por ele foi a realização do 1º Congresso Internacional de Odontologia do Triângulo Mineiro e Alto Paranaíba, em 1981, com a presença do conferencista norte-americano doutor Peter Thomas, a maior autoridade contemporânea em Odontologia.
São exemplos do quanto a ABO/Uberaba tem, desde seu início, investido na valorização da categoria e de Uberaba” – afirma Ricardo Coelho.
Não é por acaso, portanto – ressalta ele, que a entidade ocupa uma posição de destaque e de vanguarda em nível nacional.
O comprometimento com a classe que representa, a visão científica, o otimismo dos presidentes da ABO/Uberaba têm viabilizado esta situação privilegiada” – destaca o presidente.

CADERNO ESPECIAL JU
Entidades classistas de Uberaba
*Associação dos Lotéricos de Uberaba
(Entrevista: Giselda Campos)

Apesar das filas...
Casas lotéricas cumprem ampla função social
Zulmira Pontes
Com 24 lojas credenciadas pela Caixa Econômica Federal em Uberaba, as casas lotéricas oferecem mais de 200 empregos diretos na cidade, além de suas várias outras funções sociais. Avaliação é da presidente da Associação dos Lotéricos de Uberaba, Zulmira Pontes, destacando a importância que o setor representa no desenvolvimento econômico e social do município.
Uma casa lotérica, hoje, vai muito além de permitir que a pessoa arrisque e torça pela sorte; a rede oferece uma série de serviços, entre eles, o recebimento de benefícios sociais, tipo Bolsa Família e Seguro-Desemprego” – lembra a líder do setor.
Ela acrescenta ainda,  que o atendimento é rápido e o horário de funcionamento é mais amplo em relação às agências bancárias.
E no caso de Uberaba, existe sempre uma lotérica por perto” – comenta Zulmira.

CONFIRA OS SERVIÇOS OFERECIDOS PELAS LOTÉRICAS
Loterias
- Apostas
- Retiras de prêmios de até R$ 800,00
Pagamentos
- Tributos municipais, estaduais e federais
- Contas de concessionárias públicas (água, luz/ água e telefone)
- Bloquetos de cobranças bancárias
- Agendamentos
Consultas
_Saldo de extrato de contas da Caixa
- Saldo e extrato do FGTS
- Saldo e extrato do PIS
- Saldo e extrato de aplicações
Depósitos e saques
- Conta Corrente
- Poupança
E ainda:
- Solicitação e desbloqueio de talões de cheque
- Impressão de folhas de cheque
- Efetuar resgates
- Bloqueio de Cartões
- Recebimento de benefícios sociais como Bolsa Família, INSS, FGTS, Seguro- Desemprego e PIS
- Participação em leilões de jóias do Penhor
- Efetuar manutenção dos Contrados de Penhor

CADERNO ESPECIAL JU
Entidades classistas de Uberaba
*Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção e do Mobiliário de Uberaba 
(Entrevista: Giselda Campos)

José Lacerda
“Somos milhares de trabalhadores contribuindo com o desenvolvimento de Uberaba, mas, acima de tudo, somos milhares de trabalhadores sujeitos aos altos e baixos da economia”
Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção e do Mobiliário de Uberaba não é apenas um dos mais antigos – existe desde outubro de 1946, e portanto, está prestes a completar 67 anos. O STICMU é também um dos mais representativos e mais atuantes da cidade e da região.
Temos orgulho desta longevidade e reconhecimento, mas também temos responsabilidade redobrada” – avalia o presidente José Lacerda Sobrinho, se referindo à abrangência da entidade. Ao todo, segundo ele, Uberaba tem cerca de 40 mil pessoas neste universo.
Somos milhares de trabalhadores contribuindo diretamente com o desenvolvimento de Uberaba, mas, acima de tudo, somos milhares de trabalhadores sujeitos aos altos e baixos da economia nacional e municipal” – compara o presidente do STICMU.
Diante disso, ele lembra que o sindicato precisa estar sempre atento e pronto para apoiar e defender a categoria.
MISSÃO AMPLA
Não é por acaso – de acordo com ele, que a entidade dá atenção especial ao atendimento jurídico, seja orientando, fazendo cálculos, preparando defesas leais e representando os trabalhadores em todas as esferas.
Ele lembra que recentemente o sindicato conseguiu, no Poder Judiciário, bloquear os repasses para uma empresa, com o objetivo de priorizar o pagamento de 120 funcionários. “Nestes casos, feito o pagamento, os trabalhadores ficam liberados para buscar outras atividades,  mas o sindicato não os abandona; mantemos contato com outras empresas em busca de serviço para os companheiros” – revela José Lacerda.
DESAFIO
O líder sindical destaca, inclusive, que alguns desafios estão merecendo atenção especial, entre eles, o grande processo migratório de trabalhadores de outras localidades.
O sindicato não pode, não deve e não fica omisso quanto a esta situação” – afirma o presidente, citando alguns problemas enfrentados por estes trabalhadores e que precisam da interferência sindical.
Muitas vezes eles são alojados inadequadamente; a falta de qualificação profissional é um entrave para o emprego, e, além disso, eles precisam de segurança e saúde, entre outros direitos” – acrescenta.
José Lacerda diz que o STICMU precisa do apoio dos parlamentares de Uberaba e região, do governo municipal e da sociedade organizada para vencer este desafio.
CIDADANIA
O presidente reafirma que a missão do STICMU é ampla, já que atua na organização dos trabalhadores em busca de seu desenvolvimento econômico, social e político.
Além de orientar sobre seus direitos e defender suas lutas, o sindicato tem o objetivo de promover o cidadão da construção civil e do mobiliário enquanto ser humano, elevando sua autoestima e fortalecendo sua consciência, de forma que ele saiba que é digno de respeito” – resume o dirigente sindical.
HISTÓRIA
José Lacerda diz que sua diretoria faz questão ainda, de preservar a memória de entidade, para que os trabalhadores conheçam as lutas que motivaram a união da categoria. Para isso, a sede da entidade conserva livros e arquivos históricos, não apenas relativos à construção civil e o mobiliário, mas também sobre as primeiras organizações operárias de Uberaba.
A criação da Liga Operária de Uberaba, na década de 1920, segundo José Lacerda, consta do mais antigo documento de que se tem notícia, até agora, sobre o movimento sindical em Uberaba.
 
CADERNO ESPECIAL JU
Entidades classistas de Uberaba
Associação Comercial, Industrial e de Serviços de Uberaba
(Entrevista: Giselda Campos)

Manoel Rodrigues
ENTRE OS DESTAQUES – Sociedade Garantidora de Crédito; Centro de Pesquisas – já com quatro pesquisas nas ruas; regionalização da entidade; recriação dos Núcleos de empreendedores; Sistema Aciu/Educação com empregabilidade de mais de 90%
“O NOME QUE DEFENDEMOS É UBERABA”
Em meio aos protestos que tomaram conta das ruas brasileiras, a tradicional Associação Comercial, Industrial e de Serviços de Uberaba – Aciu, revelou um perfil até então, inédito. A gestão 2012/2014 permanece firme e forte na defesa dos interesses dos associados, mas seu presidente, o professor Manoel Rodrigues Neto, 49 anos, expõe um ingrediente novo: apoia o povo nas ruas e até possui lado em questões específicas, tipo a Proposta de Emenda à Constitutição – conhecida por PEC/37, que acaba de ser rejeitada pela Câmara dos Deputados, sob pressão popular.
Ouvimos o lado do Ministério Público e o lado da Polícia Civil, e defendo que as duas partes busquem um acordo com o objetivo de proteger a população, mas, sem dúvida, a PEC/37 tinha que ser arquivada” – assume Manoel Rodrigues, em entrevista ao Jornal de Uberaba (JU).
Segundo ele, os promotores de Justiça estão realizando um bom trabalho no combate à corrupção, e portanto, em defesa dos interesses da sociedade brasileira. “Tirar este poder do Ministério Público seria um retrocesso” – avalia.
Para Manoel Rodrigues, os protestos são legítimos, com exceção do vandalismo, que, segundo ele, tem provocado prejuízos econômicos – inclusive para o empresariado.
Sou cidadão, mas também represento uma entidade classista e defender nossos associados é condição inequívoca” – afirma.
E é justamente a preocupação classista que tem levado a Aciu a alertar os empresários de Uberaba sobre os cuidados que devem tomar durante manifestações públicas na cidade. “É nossa obrigação” – diz Manoel Rodrigues, que assina manifesto de orientações junto com a Câmara de Dirigentes Lojistas de Uberaba – CDL.
REFORMA TRIBUTÁRIA, JÁ
O presidente da Aciu diz que espera que as manifestações provoquem uma reforma tributária urgente no Brasil. “O governo federal fica hoje, com 65% do bolo da arrecadação, restando 25% para os estados e 10% para os municípios” – lembra ele. E revela seu sonho: ver estes índices invertidos.
Imagine os municípios com 65% da arrecadação! O povo teria saúde, educação e transporte coletivo de qualidade!” – prevê.
SISTEMA ACIU/EDUCAÇÃO TEM
EMPREGABILIDADE DE MAIS DE 90%
Ex-aluno de Ciências Contábeis, em seguida professor, e depois coordenador do curso na Faculdade de Ciências Econômicas do Triângulo Mineiro – FCETM, Manoel Rodrigues não esconde o orgulho do Sistema Aciu/Educação, incluindo também, o mais recente anexado Centro de Ensino Superior de Uberaba – Cesub.
Registramos uma empregabilidade de mais de 90% dos nossos alunos” – comemora. De acordo com ele, as duas instituições possuem hoje, cerca de 800 estudantes, e muitos já são contratados já no primeiro ano. “E faço questão de dizer: até os estagiários são remunerados , e bem remunerados” – garante.
Para ele, o índice de empregabilidade é diretamente proporcional à qualidade do ensino oferecido pelas duas instituições do Sistema Aciu/Educação.
CEPES É REATIVADO E JÁ ESTÁ
COM 4 PESQUISAS NAS RUAS
E já estão nas ruas quatro pesquisas do recém-reativado Centro de Estudos e Pesquisas Sociais e Econômicas – Cepes, da FCETM. “Na medida em que participamos da comunidade através da realização de pesquisas, com certeza teremos o retorno, e este retorno se chama credibilidade” – ressalta o presidente da Aciu.
As pesquisas, segundo ele, estão apurando a opinião da população sobre os políticos e sobre a proposta de criação da Região Metropolitana do Triângulo Mineiro e Alto Paranaíba; e as expectativas do empresariado em relação à Aciu, e em relação ao futuro.
ACIU E SEBRAE SE ALIAM
PARA GARANTIR CRÉDITO
Já em tramitação acelerada está a criação da Sociedade Garantidora de Crédito, que será presidida pela Aciu, e terá a parceria do Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas – Sebrae, que vai entrar com o capital inicial.
Objetivo da Aciu é facilitar a vida dos associados” – diz Manoel Rodrigues, exemplificando que hoje, um empresário fica impedido de contrair financiamento para um imóvel se já tiver outro financiamento. “Esta pessoa fica barrada nos seus projetos de crescimento” – completa.
A média de garantia vai girar em torno de R$ 20 mil/R$ 25 mil.
REGIONALIZAÇÃO
O presidente da Aciu revela ainda que, entre os projetos da entidade está também a regionalização dos serviços prestados por ela. “Através do nosso programa de conciliação conseguimos recuperar, em um ano e maio, mais de R$ 8 milhões de tributos só para a Prefeitura de Uberaba; queremos transformar este programa em regional” – afirma ele, sem dúvida já preparando a Aciu para a futura Região Metropolitana.
NÚCLEOS SÃO RETOMADOS
Gestão 2012/2014 da Aciu está recuperando – também em parceria com o Sebrae e com a Federação das Associações Comerciais e Empresariais do Estado de Minas Gerais - Federaminas, os antigos Núcleos do Programa Empreender. Eles chegaram a somar dezenas de grupos.
Estamos recomeçando, mas já reinstalamos nove deles” – comemora Manoel Rodrigues, lembrando que, juntos, os empresários de um mesmo setor poder ganhar descontos importantes em suas compras; promover ações de valorização; investir na melhoria da qualidade de seus serviços e de seus funcionários. Entre os Núcleos recriados estão dos cabeleireiros, farmácias, técnicos em informática, academias e pet shops.
A FAVOR DE UBERABA
Questionado se a entidade tem preferência político-eleitoral para 2014, Manoel Rodrigues disse que “não”, a exemplo - segundo ele, do que aconteceu nas eleições de prefeito em 2012. “Representamos 3.000 companheiros, e, com certeza, eles não têm uma preferência única. Optamos, portanto, pela neutralidade político-eleitoral” – afirma ele.
Mas, o presidente da Aciu faz questão de dizer que o mesmo não acontece quando se trata de defender Uberaba e o empresariado da cidade.
Queremos participar de tudo. Se o prefeito, por exemplo, não nos convida para uma reunião, nós nos convidamos” – diverte-se ele, deixando claro que isso já aconteceu.
Por sinal, Manoel Rodrigues fez questão de afirmar e reafirmar várias vezes ao longo da entrevista: “O nome que defendemos é Uberaba”.

CADERNO ESPECIAL JU
Entidades classistas de Uberaba
*Câmara de Dirigentes Lojistas de Uberaba
(Entrevista: Giselda Campos)

 “Para a cidade crescer, é preciso que seu comércio promova empregos e renda”
CDL defende que a população de Uberaba faça compras na cidade
Miguel Faria
Enquanto se movimenta em torno da construção de um centro de convenções para oito mil pessoas; e da preparação das campanhas “3 Amores & Uma Paixão’’ e “Vendedor do Ano”, a Câmara de Dirigentes Lojistas de Uberaba – CDL, se mantém atenta aos assuntos do cotidiano que tratam da defesa e dos interesses do segmento que representa. “Temos como bandeira que, para a cidade crescer, é preciso que os produtos aqui comercializados tragam recursos em forma de movimentação financeira, empregos e renda” – afirma o presidente da entidade, Miguel Faria. Confira a entrevista na íntegra.
JU – O Brasil está no rumo certo, economicamente falando?
Miguel Haroldo de Faria –
O Brasil precisa, urgentemente, fazer reformas profundas para continuar em ritmo de crescimento e, assim, ser mais competitivo. Estamos passando por turbulências, ainda reflexo do que aconteceu na Europa e nos Estados Unidos. O grande problema é o custo Brasil, pois a máquina administrativa é muito cara e são altos os impostos que todos nós pagamos. Resultado: as empresas não dispõem de muito capital de investimento, enquanto a remuneração cai.
JU – Qual o papel da Câmara de Dirigentes Lojistas de Uberaba no desenvolvimento da cidade?
Miguel Faria –
Somos fomentadores do comércio. Temos como bandeira que,
para a cidade crescer, é preciso que os produtos aqui comercializados
tragam recursos em forma de movimentação financeira, empregos e renda. Que
nosso comércio possa gerar riquezas e trazer sempre dinheiro novo, isto é,
que clientes de fora comprem aqui, e os daqui, da mesma forma, consumam
aqui.
JU – O senhor diria que a CDL/Uberaba cumpre com a função social tão defendida nos tempos atuais?
Miguel Faria –
Sim. Temos várias frentes de atuação, como treinamentos para
os nossos associados e seus colaboradores, bem como da comunidade em
geral, através do Centro de Educação Tecnológica do Comércio de
Uberaba, o Ceteco, que é um empreendimento em anexo à sede da CDL. Viabilizamos
palestras e parcerias com várias entidades, tais como Sebrae, Senac, Sindicomercio, com o intuito de melhorar o nível profissional das pessoas
que buscam qualificação para o despertar de um novo momento em suas
carreiras e, especialmente, em termos pessoais. Nossa entidade sempre está
fomentando e contribuindo para o primeiro emprego. Está presente em
atividades de ação social, como campanha do agasalho. Temos, ainda, a
bolsa de empregos, mantida para estimular a recolocação no mercado de
trabalho.
JU – O que a entidade tem feito para reduzir a inadimplência em Uberaba?
Miguel Faria –
Várias campanhas de conscientização do consumo. Defendemos
que o consumidor faça planejamento da renda e que o comprometimento de
renda não ultrapasse a receita. Recomendamos que as empresas façam
cadastro bem feito e com todos os critérios, para que as vendas
concretizadas sejam de clientes em condições de arcar em dia com os
compromissos assumidos.
JU – Que projetos da CDL/Uberaba o senhor destacaria?
Miguel Faria –
Estamos empenhados na construção do CDL Hall. Será um
Centro de Convenções para 8 mil pessoas, quando o projeto estiver todo
concluído. Outra iniciativa importante é a campanha de vendas ,
recentemente lançada, com o tema “3 Amores & Uma Paixão’’, para o período
de novembro próximo, até junho de 2014, com a distribuição de uma
expressiva quantidade de prêmios aos consumidores que comprarem nas lojas
credenciadas. Podemos citar de exemplos: um carro Citroen  C3,  seis motos, dez
vale-compras, 16 bicicletas, televisores e tantos outras premiações. E,
não paramos por aí. Teremos, ainda este ano, o Projeto Vendedor do Ano que
vai promover e valorizar os melhores do setor varejista e da prestação de
serviços. E uma série de cursos profissionalizantes com vários temas
atuais para o comercio, dentre outros, ao longo do ano.
JU – O que esperar das manifestações e protestos que tomaram as ruas do Brasil?
Miguel Faria –
O Brasil está buscando melhorias. O país precisa de
mudanças profundas na sua política. Precisa se modernizar. E oferecer à
população, os benefícios em contrapartida aos altos impostos pagos pela
população. Creio que teremos, em breve, algumas ações efetivas por parte
de nossos governantes, pois a população quer mudanças e mudanças
concretas, sem falsas promessas.
JU - Qual o impacto que teve o programa do microempreendedor individual no comércio de Uberaba?
Miguel Faria –
Muitas pessoas saíram da informalidade e formalizaram seus
negócios. Isso foi muito bom para a economia e para o empreendedor. Pois,
assim, sua empresa tem chances de crescer, gerando empregos e se
profissionalizando cada vez mais.
---------------

Nenhum comentário:

Postar um comentário