31 de agosto de 2016

CONTA-GOTAS...NOTÍCIAS

UBERABA TEM 325 MIL HABITANTES, DE ACORDO COM  O IBGE;
MAS TEM 350 MIL, DE ACORDO COM AS LIDERANÇAS DA CIDADE
BRASIL TEM 206.081.432 HABITANTES; MINAS GERAIS TEM 20.997.560; 
UBERABA TEM 325.279 
Estimativas divulgadas pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) se referem a 1º de julho de 2016. Uberaba tem 29.291 moradores a mais do que o registrado no último censo oficial, em 2010, quando o município tinha 295.988 habitantes. Estimativa divulgada em julho de 2014 pelo IBGE indicava Uberaba com 318.813 moradores.

Nem ele explica
FROIDINHO É BARRADO NA TENTATIVA DE GOVERNAR UBERABA
Sem ocupar o pequeno espaço destinado ao partido no horário eleitoral gratuito do rádio e da televisão e sem apresentar seu programa de governo à Justiça Eleitoral, conforme exigido para o pedido de registro, o empresário Luiz Renato de Oliveiras Gomes – Froidinho, foi barrado na sua tentativa de disputar a Prefeitura de Uberaba.
Filiados ao PRP, Froidinho e seu vice, Juliano Batista, tiveram o pedido indeferido pela Justiça Eleitoral de Uberaba. Motivo foi justamente a falta de documentação exigida.
Até o fechamento desta edição continuavam aguardando julgamento pela Justiça Eleitoral as dobradinhas Angela Mairink (PP)/Anderson Adauto (PP); Gledston Moreli da Silva (PPL)/Herval Kobayashi (Rede); Antônio Gonçalves Lerin (PSB)/Samir Cecílio (PSDB); Paulo Piau (PMDB)/João Ripposati (PSD); Públio Rocha (PV)/Josimar Rocha (PT); Simea Freitas (PSTU)/Eustáquio Reis (PSOL); Wagner Júnior (PTC)/Heleno Araújo (PDT).

APARÊNCIAS - MARCELO BORGES, KAKÁ CARNEIRO, DENISE MAX, ALMIR SILVA,
AELTON FREITAS,  EDMILSON DE PAULA, SAMUEL PEREIRA - FOTO TIRADA
RECENTEMENTE PARA INDICAR  COESÃO ENTRE OS PESOS MAIS PESADOS DO PR DE UBERABA
Na moita
AELTON FREITAS DEIXA PRESIDÊNCIA DO PR DE UBERABA EM MEIO A MUITA POLÊMICA INTERNA
Ao contrário do que praticamente todo mundo imaginava, o deputado federal Aelton Freitas – hoje líder do PR na Câmara, não preside mais a comissão executiva provisória de Uberaba. De acordo com a composição anotada na Justiça Eleitoral, desde 9 de agosto de 2016, a presidência está com Mário Vilmair – que era o 2º tesoureiro e já foi presidente em duas outras ocasiões.
Vale ressaltar que a própria assessoria da legenda fez o alerta sobre a mudança, em release distribuído neste dia 31/08, em meio a uma grave crise interna – que inclui até mesmo ameaças de expulsão. Aelton Freitas tira o time de campo num momento em que, segundo membros o partido, ele teria ameaçado expulsar vereadores infiéis.
Acusação é de que alguns vereadores candidatos à reeleição estariam ignorando a aliança do PR com a coligação majoritária Compromisso Por Uberaba, que tem o deputado estadual Antônio Lerin (PSB) de candidato a prefeito, e o vereador Samir Cecílio (PSDB) de candidato a vice.
Além do vice-prefeito Almir Silva – que seria candidato a prefeito, mas desistiu, o PR tem uma bancada de cinco vereadores (resultado da “janela eleitoral” que permitiu a detentor de mandato mudar de legenda sem perder seus direitos políticos). Integram a bancada Denise Max, Kaká Carneiro (líder), Edmilson de Paula, Marcelo Borges, Samuel Pereira.
O grupo de vereadores promete gravar uma declaração de apoio a Lerin para demonstrar que não existe “infidelidade”. E assim, negar que alguns estejam apoiando a reeleição do prefeito Paulo Piau (PMDB).
Além de Mário Vilmair, integram a comissão provisória: Ildeu Marcos de Menezes (vice-presidente); Darci Manoel de Souza ( secretário); Gilberto Ferreira Junior (1º tesoureiro) e Eduardo Borges Nena Ferro (vogal).

ANTONIO ANASTASIA, MARCOS MONTES E AÉCIO NEVES NO SENADO FEDERAL
#ImpeachmentEmDestaque
Deputado federal Marcos Montes - que integrou a comissão especial do impeachment na Câmara, acompanhou no Senado, neste dia 31/08, o julgamento final do pedido de impeachment da então presidente afastada Dilma Rousseff (PT).
"Que o Brasil volte para os brasileiros", reflete ele.
Vice-líder do PSD e do governo Michel Temer (PMDB) na Câmara e presidente da Frente Parlamentar Mista da Agropecuária (FPA), o deputado acompanhou o julgamento ao lado dos senadores Antonio Anastasia e Aécio Neves - ambos do PSDB e seus aliados de longa data.
Marcos Montes defendeu a aprovação do afastamento definitivo de Dilma Rousseff - "levando o Lula junto", reforça.

PAULO PIAU E MICHEL TEMER EM ENCONTRO RECENTE 
#PMDBdeUberaba #FuturoDoBrasil
Presidente do PMDB de Uberaba, professor Fernando Hueb de Menezes, encaminhou ofício ao Palácio do Planalto, desejando sorte para o novo presidente da República, Michel Temer – companheiro de partido. “Com certeza, Uberaba será beneficiada, seja pelo respeito que Temer tem por nossa cidade, seja pela proximidade dele com o prefeito Paulo Piau” – afirma Fernando Hueb.
O líder peemedebista lembra que Temer desembarcou em Uberaba no 1º e no 2º turnos de 2012, em apoio à candidatura de Paulo Piau a prefeito. “A recíproca foi verdadeira em 2014, quando o companheiro Paulo Piau apoiou Michel Temer” – recorda ele.
“Esperemos agora, que o Brasil volte a crescer” – prega ele.

PAINEL MOSTRA RESULTADO DO IMPEACHMENT (FOTO: GERALDO MAGELA/AGÊNCIA SENADO)
Tristeza de uma...alegria de outro
DILMA ROUSSEFF É EX-PRESIDENTE DA REPÚBLICA; MICHEL TEMER É EX-PRESIDENTE INTERINO
Impeachment foi concluído por volta de 14h. Teve sete votos a mais do que o mínimo necessário. Michel Temer tomou posse da Presidência da República por volta de 16h30. Ele foi empossado pelo presidente do Congresso, Renan Calheiros, depois de prometer manter, defender e cumprir a Constituição. Seu mandato vai até 31 de dezembro de 2018.

Texto: Agência Senado
Após seis dias de sessão e mais de 60 horas de trabalho, o Senado Federal decidiu nesta quarta-feira (31), por 61 votos a 20, condenar Dilma Rousseff pelo crime de responsabilidade e retirar seu mandato de presidente da República. Em uma segunda votação, foram mantidos seus direitos políticos.
Dilma Rousseff  foi responsabilizada pela edição de três decretos de créditos suplementar, sem autorização legislativa, e por atrasos no repasse de subvenções do Plano Safra ao Banco do Brasil, em desacordo a leis orçamentárias e fiscais.
O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Ricardo Lewandowski, que presidiu a sessão de julgamento, lavrou a sentença e determinou que Dilma Rousseff e Michel Temer fosse comunicados da decisão, tarefa que ficou a cargo do primeiro secretário do Senado, Vicentinho Alves (PR-TO).
Dilma Rousseff terá até 30 dias para deixar o Palácio da Alvorada, residência oficial do chefe de Estado.
Em uma segunda votação, Dilma Rousseff obteve a manutenção de seus direitos políticos. Inicialmente, previa-se uma única votação para o impedimento e a perda de direitos políticos, o que a tornaria inabilitada para o exercício de qualquer função pública. No entanto, Lewandowski atendeu a pedido de destaque apresentado pela bancada do Partido dos Trabalhadores, o que levou à realização de duas votações. Na segunda, 42 senadores votaram pela perda de direitos, 36 pela manutenção e 3 se abstiveram. Para a inabilitação da agora ex-presidente seria necessária maioria absoluta, ou seja, pelo menos 54 votos.

Tramitação

O processo de impeachment foi concluído quatro meses e meio depois de chegar ao Senado, período marcado por divergências e intensos debates entre aliados e opositores de Dilma Rousseff. A denúncia apresentada contra ela, pelos juristas Hélio Bicudo, Miguel Reale Júnior e Janaína Paschoal, foi aceita em 2 de dezembro de 2015 pelo então presidente da Câmara, Eduardo Cunha, e, em meados de abril, acolhida pelo Plenário daquela Casa.
No Senado, passou por três votações em Plenário. Na primeira delas, em 12 de maio, os senadores aprovaram a abertura do processo de impeachment, o que determinou o afastamento temporário de Dilma Rousseff.
Nos três meses seguintes, o trabalho se concentrou na Comissão Especial do Impeachment, responsável por analisar provas da procedência ou não das acusações.
Presidida pelo senador Raimundo Lira (PMDB-PB), a comissão realizou 31 reuniões e ouviu 44 testemunhas, 38 delas de defesa. Ao final, foi aprovado relatório elaborado por Antonio Anastasia (PSDB-MG), recomendando o julgamento da acusada.
Na madrugada de 10 de agosto, após cerca de 17 horas de sessão, também presidida por Ricardo Lewandowski, o relatório foi acatado em Plenário, que transformou Dilma em ré.
Iniciada na última quinta-feira (25), a sessão de julgamento teve início com a arguição de cinco testemunhas e dois informantes, fase realizada em três dias de trabalho.
Na segunda-feira (29), Dilma Rousseff teve a oportunidade de apresentar sua defesa em Plenário e responder a perguntas de 48 senadores, por cerca de 14 horas.
Na manhã de terça-feira (30), foi a vez da manifestação dos advogados de acusação, Janaína Paschoal e Miguel Reale, e da defesa, José Eduardo Cardozo. No restante do dia e até a madrugada do dia seguinte, 66 senadores inscritos se manifestaram da tribuna.
Nesta quarta-feira, último dia da sessão, o ministro Ricardo Lewandowski fez uma síntese de seu relatório, com os fundamentos do processo de impeachment, que contém 72 volumes e mais de 27 mil folhas. A votação que resultou no impedimento de Dilma Rousseff foi encaminhada pelos senadores Ana Amélia (PP-RS) e Ronaldo Caiado (DEM-GO), favoráveis ao impeachment, e por Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM), Lindbergh Farias (PT-RJ) e Humberto Costa (PT-PE), contrários ao afastamento da presidente.
FERNANDO COLLOR FOI AO MICROFONE SE
QUEIXAR DA DECISÃO DE MANTER OS DIREITOS
POLÍTICOS DE DILMA ROUSSEFF, JÁ QUE, AO
SER AFASTADO DA PRESIDÊNCIA ELE PERDEU 
OS DIREITOS POR OITO ANOS
(FOTO: GERALDO MAGELA)

--------------------


Direitos políticos
Na segunda votação, Kátia Abreu (PMDB-TO), Jorge Viana (PT-AC) e João Capiberibe (PSB-AP) encaminharam pela manutenção dos direitos políticos da ex-presidente, ficando a cargo dos senadores pelo PSDB Aloysio Nunes (SP), Cássio Cunha Lima (PB) e Aécio Neves (MG) as argumentações contrárias. Ao final, os direitos políticos de Dilma Rousseff foram mantidos.

Um comentário:

  1. Ainda bem que esse Froidinho não deu seguimento, pois já presenciei ele acabar com acredito ser a sua esposa e filhos na porta de uma mercearia, por comprar uma mercadoria 0,20 centavo mais caro que no supermercado, foram diversas vezes estes fatos ele pra mim não serve nem para presidente de bairro. Coisa horrível o escândalo que ele apronto ate murros no volante de um Opala ele dava de raiva...

    ResponderExcluir